quinta-feira, 30 de junho de 2016

Após TRF-5 afastar prefeito, adversários políticos se pegam no tapa em Marizópolis

Um vídeo divulgado nesta quinta-feira (30) mostra adversários políticos se enfrentando no braço na cidade de Marizópolis, no Sertão paraibano.

A confusão aconteceu após o Tribunal Regional Federal da 5ª Regial (TRF-5) mandar afastar do cargo e determinar a prisão do prefeito da cidade, José Vieira.

José Vieira foi condenado em processo que apurou crime de responsabilidade na aplicação de verbas públicas federais em obras de sanitária no município.
Confira o vídeo

Roberto Targino – MaisPB

Banco do Nordeste libera R$ 1 bilhão para a PB

O Banco do Nordeste planeja aplicar R$ 1 bilhão do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) na Paraíba em 2016. A disponibilidade de recursos foi apresentada em encontros com agentes produtivos do estado em junho, como na Federação da Indústrias da Paraíba (Fiep), quando o diretor de negócios do Banco do Nordeste, Joaquim Cruz, esteve presente e apresentou dados de investimentos no estado e a linha do FNE Sol, lançada recentemente. "Somos castigados pela seca há séculos e agora o Sol, que sempre nos castigou historicamente, pode ser a alavanca de nossa redenção econômica e social", disse.

Um dos focos de aplicações da instituição são os investimentos na transformação da matriz energética das empresas dos segmentos urbanos e rurais, a partir da aquisição de sistemas fotovoltaicos, eólicos e de biomassa em seus empreendimentos. A proposta do FNE Sol é que as empresas adotem sistemas renováveis de micro e minigeração de energia e que o investimento possa ser temporariamente pago na diferença da redução da conta de energia. A empresa tem em média de cinco anos para quitar o valor, com 25 anos de vida útil do equipamento adquirido.

Em junho, o Banco também apresentou sua estimativa de aplicações para o ano em encontros com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Paraibana dos Criadores de Caprinos e Ovinos (Apaco) e secretarias do Governo Estadual.

Instalação de empresas deve gerar R$ 920 milhões

A geração de energia elétrica com o uso de sistemas renováveis e limpos deve gerar investimento de R$ 920 milhões para os próximos anos, a partir da instalação de empresas que utilizarão o sistema fotovoltaico na matriz energética até 2019. Existem oito empreendimentos em fase de implantação na Paraíba já aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em leilões realizados nos anos de 2014 e 2015, conforme informou o diretor de Negócios, Joaquim Cruz.

As cidades já definidas para receber os empreendimentos eólicos são: São José do Sabugi, Santa Luzia e Junco do Seridó. A Força Eólica do Brasil, joint venture entre os grupos Neoenergia e Iberdrola,foi a vencedora do leilão e será responsável pela construção e operação dos parques eólicos Lagoa e Canoas I e II, com potência de 30 MW (megawatts) cada. Além dessas cidades, o município de Coremas  receberá um investimentos em energia fotovoltaica, também em atividades já leiloadas e o Banco do Nordeste já negocia com estas empresas o apoio financeiro para estes investimentos capazes de transformar a realidade da matriz energética da Paraíba e também do Brasil.

MaisPB

Filha de Gretchen exibe curvas em ensaio fotográfico sensual

Jenny Miranda mostrou que está preparadíssima para concorrer ao título de Miss Bumbum 2016.

Em ensaio para o Paparazzo, a beldade mostrou suas curvas e declarou que perdeu nove quilos para levar a melhor no concurso.

Jenny é filha adotiva da cantora  Gretchen.

Bol

Colisão entre carro e ambulância de Monteiro deixa saldo de um morto e 4 feridos

No início da tarde desta quinta-feira (30) uma colisão entre dois veículos deixou uma pessoa morta na BR 412, próximo a uma das entradas para o distrito de Malhada de Roça. A colisão se deu entre uma ambulância da Prefeitura de Monteiro e um carro tipo camionete.

Não há informações de como se deu o acidente, mas o Samu foi rapidamente acionado e socorreu quatro vítimas para o Hospital de Serra Branca. Na unidade de saúde, uma delas veio a óbito devido a gravidade dos ferimentos. Trata-se de Orlando Gomes de Oliveira, natural de Texeira.

Além dele, outro homem identificado como Orlando Batista, também de Texeira, teve traumatismo em pelo menos duas partes do corpo e foi transferido para Campina Grande.

O motorista da ambulância de Monteiro, Paulo Ferreira, e uma mulher identificada como Ivani tiveram ferimentos, mas passam bem no Hospital de Serra Branca. Outro monteirense, também presente na ambulância, foi transferido direto para o Trauma de Campina Grande e não se sabe seu estado de saúde.

DE OLHO NO CARIRI

Carlinhos, o jovem superobeso, volta a ser visto pedindo ajuda pelas ruas da cidade de Patos

O jovem Carlos Antônio dos Santos Freitas, 29 anos, mais conhecido por Carlinhos, foi visto no final da tarde desta quarta-feira, dia 29, por volta das 17h, na calçada do Guedes Supermercado, localizado no Centro de Patos. Carlinhos pedia ajuda e estava também vendendo CD's e DVD's.

Carlinhos tem problemas de obesidade mórbida e tem transtornos mentais. O jovem foi destaque na imprensa nacional após ficar com a mobilidade reduzida devido ao peso excessivo. Ele ficou sem poder andar e surgiram escaras em partes do seu corpo.

Uma verdadeira campanha de solidariedade desencadeada por internautas e cidadãos dos mais diversos pontos do Brasil deu a possibilidade de tratamento para que Carlinhos perdesse peso. O jovem esteve internado no Hospital das Clínicas, em Recife (PE) e chegou a perder 145 quilos dos mais de 400. Ele começou a andar, no entanto, não foi possível uma cirurgia bariátrica devido ao transtorno mental do jovem patoense.

Com uma situação de vulnerabilidade social e tendo a família com dificuldades para dar continuidade ao tratamento na perda de peso, Carlinhos volta ao mesmo cenário que o levou a situação de risco iminente de morte devido à superobesidade. O jovem mora com sua mãe no Conjunto Vista da Serra, localizado no Bairro Monte Castelo, mas começou a perambular como antes pelas ruas da cidade de Patos.

Patos Online

Barreira: Deputado afirma que Prefeitura ‘jogou no lixo’ licença ambiental e projeto e pode perder recursos

O deputado Federal Wilson Filho, (PTB), disse durante entrevista, por telefone, ao Programa Rádio Verdade do Sistema Arapuan de Comunicação que a Prefeitura de João Pessoa "jogou no lixo" as licenças ambientais bem como o projeto para a contenção da Barreira de Cabo Branco.

Ele lembrou que em 2010, quando seu pai, Wilson Santiago, era deputado Federal conseguiu, por meio de um projeto do então prefeito Luciano Agra, aprovar a liberação de R$ 6.5 milhões, que serão utilizados em obras de contenção da barreira de Cabo Branco.

Além dos recursos financeiros, o deputado afirmou que foram conseguidas todas as licenças ambientais "mas em 2013, a atual gestão preferiu 'colocar no lixo, o projeto e as licenças ambientais alegando que precisava de fazer outro projeto no valor R$ 70 milhões", lamentou o deputado.

Wilson Filho lembrou que depois que o seu pai deixou o mandato de deputado federal, ele assumiu o a cargo ficou com a responsabilidade de empenhar e liberar esses recursos " e foi conquistado só que até agora a Prefeitura não compareceu à Caixa Econômica Federal para apresentar a documentação necessária que possibilite a liberação do dinheiro que corre o risco de perder a qualquer momento", lamentou o deputado

" Tenho condições de provar que o dinheiro esta a disposição da prefeitura desde 2011 e na próxima terça-feira a Comissão do Meio Ambiente da Câmara Federal, juntamente com representantes do Ministério do Turismo virão a João Pessoa para verificar a situação da Barreira de Cabo Branco", disse o deputado.

paraíba.com.br

TCE aprova contas de São Domingos do Cariri e Zabelê

O Tribunal de Contas da Paraíba, reunido nesta quarta-feira (29), emitiu parecer favorável à aprovação das contas de 2014 do ex-prefeito de São Domingos do Cariri, José Ferreira da Silva (já falecido), como entendeu o relator do processo, conselheiro Nominando Diniz. Este e o presidente Arthur Cunha Lima teceram louvores ao ex-prefeito municipal que venceu quatro eleições e teve 14 prestações de contas anuais aprovadas pela Corte.

Em grau de recurso, o TCE aprovou as contas de 2009 do ex-prefeito de Tavares, José Severiano de Paulo Bezerra da Silva e, assim também, as do exercício de 2012 encaminhadas pela prefeita de Pilar, Virgínia Maria Peixoto Velloso Borges Ribeiro, conforme votos-vista do conselheiro André Carlo Torres Pontes, relator de ambos os processos.

Tiveram, também, suas contas aprovadas a prefeita de Zabelê (Íris de Céu de Sousa Henrique, 2014) e os dirigentes das Câmaras Municipais de Caiçara (2014), São José de Caiana (2014), São José do Cariri (2014, com ressalvas), Lagoa de Dentro (2014), Ibiara, Juazeirinho (2013) e Tavares (2014).

Em 2012, a Secretaria de Estado da Educação teve três gestores. O TCE entendeu pela regularidade das contas apresentadas pelos ex-secretários Harrison Alexandre Targino e Afonso Celso Caldeira Socuglia e pela regularidade, com ressalvas, das contas da última gestora do período, Márcia de Figueiredo Lucena Lira, a quem impôs multa de R$ 3 mil reais, conforme voto do relator Marcos Costa.

Houve aprovação, ainda, às contas da Secretaria da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento (2013), da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (2014), do Instituto de Assistência à Saúde do Servidor (2014) e da Controladoria Geral do Estado (2015).

Conduzida pelo presidente Arthur Cunha Lima, a sessão plenária teve as participações dos conselheiros André Carlo Torres Pontes, Arnóbio Viana, Nominando Diniz e Marcos Costa. Também, dos conselheiros substitutos Antonio Cláudio Silva Santos, Oscar Mamede e Renato Sérgio Santiago Melo. O Ministério Público de Contas esteve representado pela procuradora geral Sheyla Barreto Braga de Queiroz.

De Olho no Cariri

Decisão do TRF por prisão de prefeito também atinge irmão de deputado na PB


Sede do Tribunal Regional Federal, em Recife (PE)

A decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5, tomada ontem, por maioria, atendendo a pedidos de execução provisória formulados pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o prefeito de Marizópolis, José Vieira da Silva, também atinge o ex-prefeito de São João do Rio do Peixe, José Aldeir Meireles de Almeida, irmão do deputado estadual José Aldemir Meireles (PP). A sentença também pega Francisco Sales Marques de Sousa, todos condenados, em 2012, no Tribunal, por desvio de verbas públicas.

Essa foi a primeira execução provisória penal julgada pelo TRF5, após o Supremo Tribunal Federal (STF) ter decidido pela possibilidade de execução de acórdão penal condenatório, ainda sujeito a recurso especial ou extraordinário.

"De acordo com essa linha de pensamento, não viola o princípio constitucional da presunção de inocência a execução penal sem o trânsito em julgado da decisão condenatória do Tribunal, porque, pelo contrário, este se desfaz no momento em que a matéria de fato já está resolvida, com o juízo de incriminação formado, só restando discussões de direito. Sendo assim, nada obstaria a produção de efeitos do acórdão condenatório", afirmou o vice-presidente do TRF5, desembargador federal Roberto Machado.

ENTENDA O CASO – O MPF apresentou, em 2006, denúncia imputando aos acusados a participação em procedimentos licitatórios fraudulentos realizados no município de São João do Rio do Peixe/PB preliminares às contratações das obras objeto dos Convênios nº 757/96 e 006/96, celebrados, respectivamente, com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e com a Fundação Nacional de Saúde (FNS).

VEJA COMO FOI A FRAUDE – No julgamento da Ação Penal (APE 37/PB), ocorrida em 2012, o Pleno do TRF5 concluiu que os recursos públicos repassados pela União Federal ao município de São João do Rio do Peixe/PB, à época do mandato do ex-prefeito José de Almeida, saíram do âmbito municipal, sendo repassados a terceiros, o que se demonstrou, por meio do pagamento integral e antecipado a empresas vencedoras de licitações fraudulentas, sem que tenha sido observada a contraprestação acordada nos convênios, entendendo configurado o desvio de verbas públicas (artigo 1º, inciso I, do Decreto-lei nº 201/67).

CONDENAÇÃO – Os réus foram condenados à pena de inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, bem como a perda de cargo que eventualmente ocupem. Foram condenados, ainda, à pena de reclusão, a ser, inicialmente, cumprida em regime semiaberto (José Aldeir Meireles de Almeida, 5 anos e 8 meses; José Vieira da Silva, 4 anos, 11 meses e 15 dias; Sinézio Martins de Oliveira, Francisco Sales Marques de Sousa e Eudes Antônio Pereira, 4 anos e 3 meses), além do pagamento solidário de indenização no valor total de R$ 203.921,58, em favor do FNDE e da FNS.

No que se refere aos condenados Sinézio de Oliveira e Eudes Pereira, iniciou-se a execução definitiva das penas impostas nos próprios autos da APE 37 (PB), em razão do trânsito em julgado da condenação.

O réu Francisco Sousa protocolou petição ao vice-presidente do TRF5, informando que teve a pena privativa de liberdade reduzida para 3 anos e 3 meses, em virtude do julgamento de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), requerendo o reconhecimento da prescrição da pena. O pedido será apreciado antes de iniciar a execução das penas impostas.

A Ação Penal está atualmente em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF).

MaisPB

Carro atropela e mata menina em JP; motorista não presta socorro


Motorista não prestou socorro a garota que morreu no local (imagem: reprodução WhatsApp Gato Preto)

Uma menina de 13 anos morreu ao ser atropelada no início da manhã desta quinta-feira (30), no bairro de Mangabeira, Zona Sul de João Pessoa.

O acidente ocorreu na Avenida Hilton Souto Maior. O carro que provocou o atropelamento não parou para socorrer a garota.

Com o impacto, o corpo de Dayane Gabriela Lucena Costa foi jogado para o canteiro.

O pai da vítima, que mora o bairro Cidade Verde, foi até o local e fez o reconhecimento da filha.

A Polícia Militar isolou a área até a chegada da perícia e do delegado que vai apurar o caso.

Roberto Targino – MaisPB

Carlinhos Cachoeira é preso em operação contra lavagem de dinheiro


Carlinhos Cachoeira foi preso em operação da Polícia Federal (Foto: Cassiano Rolim/TV Anhanguera)

O empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foi preso na manhã desta quinta-feira (30), no condomínio de luxo em que mora, em Goiânia. Um vídeo exclusivo da TV Anhanguera mostra o momento em que ele deixa o local (veja acima). O contraventor é um dos alvos da Operação Saqueador, que visa prender pessoas envolvidas em uma esquema de lavagem de R$ 370 milhões em verbas públicas.

A ação é realizada pelo Ministério Público Federal em parceria com a Polícia Federal. Também há mandados de prisão contra Adir Assad e Fernando Cavendish, que é dono da empresa Delta Construções.

Advogado de Cachoeira, Antônio Nabor Bulhões disse que ficou sabendo da prisão no início da manhã, após uma ligação da esposa do cliente, Andressa Mendonça. O advogado informou que irá se inteirar do caso para se pronunciar.

Por volta das 7h, a PF esteve na casa de Fernando Cavendish, mas os agentes descobriram que empresário está no exterior. A casa de Cavendish fica na Rua Delfim Moreira, um dos endereços mais caros do Rio de Janeiro. Os policiais chegaram ao local por volta das 6h25.

Além de Goiás e Rio de Janeiro, a operação é realizada em São Paulo. Segundo o Ministério Público Federal, dentre os denunciados estão executivos, diretores, tesoureira e conselheiros da empreiteira, além de proprietários e contadores de empresas fantasmas, criadas por Carlinhos Cachoeira, Adir Assad e Marcelo Abbud.

O MPF descobriu que, entre 2007 e 2012, quase 100% do faturamento da Delta veio de contratos públicos, chegando ao montante de quase R$ 11 bilhões. Desse total, mais de R$ 370 milhões foram lavados, por meio de pagamento ilícito a 18 empresas de fachada, criadas pelos chamados "operadores" do esquema.

Segundo a investigação, eles lavavam o dinheiro público em contratos fictícios e sacavam o dinheiro em espécie para o pagamento de propina a agentes públicos. Assim, de acordo com o MPF, eles impediam o rastreamento das verbas.

O MPF pede a condenação de todos os envolvidos pela prática de lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Carlinhos Cachoeira
Acusado de chefiar um esquema de exploração ilegal de caça-níqueis em Goiás, Cachoeira já havia sido preso em fevereiro de 2012, quando a Operação Monte Carlo foi deflagrada pela PF e o Ministério Público Federal. Ele ganhou liberdade em 11 de dezembro do mesmo ano.

Desde então, Cachoeira já foi condenado por diversos crimes. A última condenação foi no dia 23 de setembro, pelo crime de violação de sigilo funcional, com pena de três anos de prisão.
Condimínio Alphaville Cruzeiro do Sul, em Goiânia, Goiás (Foto: Honório Jacometto/TV Anhanguera)PF cumpre mandado em condomínio de luxo em Goiânia (Foto: Honório Jacometto/TV Anhanguera)

Agricultor mata 'chupacabra' na Ucrânia


Chupacabra? | Reprodução/Twitter

Um agricultor de Ruskin (Ucrânia) disse ter matado um exemplar de "chupacabra" que estava aterrorizando a região da ex-república soviética.

Os moradores se diziam aterrorizados por uma criatura que seria responsável pela morta de galinhas e outros pequenos animais.

Valeriy Dopiryak, chefe do Laboratório Regional de Medicina Veterinária, disse não estar certa de que animal se trata.

"Parece uma raposa africana, mas os dentes, o pescoço, as orelhas e as patas são muito longas. Não podemos identificar a espécie do animal", declarou ela, segundo o "Metro".

Paulo Bernardo deixa a prisão e nega envolvimento com a Consist

O ex-ministro Paulo Bernardo deixa a Superintendência Regional da Policia Federal em São Paulo - Edilson Dantas / Agência O Globo / 29-6-2016

 Solto na noite desta quarta-feira, o ex-ministro Paulo Bernardo declarou ser inocente, criticou sua prisão e afirmou que o ministério do Planejamento, pasta que comandou, não possui contrato com a empresa Consist. Ele foi preso na última quinta-feira, durante a Operação Custo Brasil, um desdobramento da 18ª fase da Lava-Jato. O ex-ministro é acusado pelo Ministério Público Federal de São Paulo de ter recebido mais de R$ 7 milhõesde um esquema que desviou cerca de R$ 100 milhões do ministério.

— Sou inocente. Isso vai ficar demonstrado. Acho que essa prisão não era necessária porque eu estava em local determinado, me coloquei à disposição da Justiça e durante três meses não fui chamado. Então, não vi nenhum motivo para isso. Felizmente, o minsitro do Supremo teve o mesmo entendimento.

A prisão foi revogada nesta quarta-feira pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli. Depois da decisão de Toffoli, o juiz Paulo Bueno de Azevedo, que autorizou a detenção de Bernardo, revogou a prisão de outros sete investigados. Ao deixar a Superintendência Regional da Policia Federal em São Paulo, Paulo Bernardo afirmou que o contrato com a Consist não foi firmado com o Planejamento.

— O Ministério do Planejamento não tem nenhum um contrato com a Consist. Ela foi contradada pela associação de bancos e o sindicato de entidades de prevdêcia complementar. Esse contrato é estranho. Em nenhum momento houve contrato do Planejamento com a Consist. É evidente que quem quiser esclarecer isso deve falar com os bancos e as entidades. Eu não tenho nenhuma relação com a Consist.

De acordo com as investigações, pelo menos R$ 7,6 milhões foram repassados a um escritório de advocacia ligado a Paulo Bernardo. Os repasses eram feitos através do pagamento de serviços como aluguel de flats, funcionários e serviços jurídicos do ex-ministro. Nesta quarta, ele negou ter despesas pagas pela empresa:

— Isso não procede. Minhas despesas pessoais são pagas com o meu salário.

Ele reclamou que delações foram encaradas como "absolutas verdades":

— Vai haver uma discussão sobre essas delações, pois me parece que houve muita manipulação.

O ex-ministro não quis comentar a operação da Polícia Federal no apartamento em Brasília, onde mora com sua mulher, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).

A operação Custo Brasil apura o pagamento de propina, proveniente de contratos de prestação de serviços de informática com a empresa Consist, na ordem de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos do Ministério do Planejamento. O caso foi revelado pelo GLOBO em agosto do ano passado.

Embora tenha revogado a prisão, Toffoli negou um pedido de Bernardo para que o caso dele fosse retirado da Justiça Federal de São Paulo e encaminhado para o STF, mas, por conta própria, determinou a revogação da prisão. Por outro lado, Toffoli deu ao juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, que havia mandado prender o ex-ministro, a prerrogativa de definir medidas cautelares alternativas, como o monitoramento eletrônico e a obrigação de ficar recolhido em casa à noite e nos fins de semana.

A todo instante comparando sua prisão à obra de Kafka "O processo", onde primeiro o personagem vai preso e depois conhece as acusações, o advogado Guilherme Gonçalves deixou a sede da Polícia Federal negando qualquer envolvimento em desvio de dinheiro da Consist para o ex-ministro Paulo Bernardo. Ele afirmou que sua prisão foi uma precipitação.

— Sempre me coloquei à disposição da Justiça. Isso surgiu de delação premiada. Foi uma precipitação.

Gonçalves disse ainda que conheceu a maioria dos envolvidos no esquema na sede da Polícia Federal e que nunca se encontrou com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, acusado de repassar propina ao Partido dos Trabalhadores.

— A única que já conhecia é o ex-ministro Paulo Bernardo. Parece uma situação Kafkaniana, onde primeiro você é preso e depois é feita a acusação.

Guilherme explicou ainda que recebeu o valor de R$ 6 milhões por seis anos da Consist e que está tudo declarado no Imposto de Renda. Questionado se não havia conflito de interesses por advogar para a Consist e para o ex-ministro Paulo Bernardo, Gonçalves afirma que, na época, "não via problema".

— Não representa conflito de interesse porque não tenho cargo público. Não vejo o menos problema.

Após falar com a imprensa, Gonçalves dividiu um táxi com o advogado Daisson Portanova também preso na operação.

— Ele não tem dinheiro para voltar — justificou Gonçalves.

Lei das Estatais sofre pressões de políticos, sindicatos e entidades

Governança. Sede da Petrobras: especialistas criticam emaranhado jurídico e conflito de regras com a Lei das S.A. - Pedro Teixeira / O Globo

BRASÍLIA - O governo obteve vitória no Senado resgatando, após saraivada de críticas, o texto original mais duro para a governança das empresas públicas, aprovado em tempo recorde. Mas não fazia ideia de que a batalha estava só começando. Há uma semana sobre a mesa do presidente interino, Michel Temer, a Lei de Responsabilidade das Estatais é alvo de diversos lobbies e poderá sofrer vários vetos, para contemplar reivindicações e alertas que partem desde políticos na antessala do gabinete presidencial até entidades de classe, passando pela Bolsa de Valores de São Paulo e organizações que visam à boa gestão corporativa. Diante da "saia justa", conforme definiu um assessor palaciano, Temer adiou a sanção para a próxima semana.

A maior pressão vem de políticos e sindicalistas que defendem a proibição para que dirigentes de partidos e sindicatos exerçam cargos na direção das estatais. Temer, no entanto, está decidido a manter a restrição. Por enquanto, estão definidos dois vetos: a proibição para que presidentes das empresas façam parte dos conselhos de administração e a questão da responsabilidade solidária — que pode fazer com que conselheiros, mesmo que tenham votado contra um assunto, possam ser responsabilizados no futuro por decisões erradas da maioria.

'HÁ PRESSÕES DE TODOS OS LADOS'

NA quarta-feira, durante incursão no Congresso Nacional, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse que a decisão sobre o texto definitivo da nova lei das estatais será política. Temer pretende sancionar a nova lei em uma cerimônia no Planalto com a presença de vários parlamentares em um ato simbólico para marcar uma nova fase na gestão das estatais e busca costurar uma ampla negociação.

— Esse processo é político, temos prazo. O presidente quer rapidez, sim. Conversamos longamente com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), autor do projeto, e temos que ouvir o pessoal da Câmara, que tem outras ponderações — disse Padilha.

— Não gostaria de usar este termo, mas o fato é que há pressões de todos os lados — emendou um interlocutor do Planalto.

O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (Paulinho), confirmou que procurou a Casa Civil, pedindo veto à proibição de sindicalistas na direção das estatais. Segundo ele, a restrição está incomodando o movimento sindical.

— Fica parecendo que todo sindicalista é ladrão. Não é porque o PT e pessoas ligadas à CUT roubaram e deram prejuízo às estatais que todos vão fazer a mesma coisa — disse Paulinho.

Os dois vetos já decididos por Temer foram indicados por mercado e entidades de classe. Também estão em pauta outras questões, como a atribuição ao conselho, e não à diretoria, do papel de implementar gestão de riscos. Há, ainda, o artigo sobre o número mínimo de sete conselheiros nas estatais estaduais, considerado elevado.

Também há queixa de que se cria um emaranhado jurídico desnecessário e que a Lei das S.A. deveria prevalecer. Para entidades como a Associação Brasileira de Mercado de Capitais (Amec) e o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), poderá haver conflito de regras. A opinião também foi compartilhada de forma mais reservada por alguns membros da Bovespa (a Bolsa já tem um programa com regras específicas para as empresas com ações).

— Se o objetivo maior é fortalecer a governança das estatais, aumentando a transparência, a responsabilidade dos administradores e os direitos e deveres de acionistas, por que não inserir as empresas públicas no rol dos entes cobertos pela Lei das S.A.? — questionou o presidente do IBGC, Emilio Carazzi.

A entidade critica ainda a nova lei por definir conselheiros eleitos por acionistas minoritários e empregados como "representantes" dessas classes, contrariando o princípio da Lei das S.A. de que todos os administradores devem atuar exclusivamente no interesse da companhia, independentemente de quem os indicou.

Para o professor de Estratégia Corporativa do Insper, Sandro Cabral, a proposta é "boa", mas não resolverá a ingerência nas empresas. Para ele, também é insuficiente para assegurar maior profissionalização da direção das estatais. A exigência de experiência de dez anos, disse, não garante capacitação para conduzir as empresas.

— A lei não impede que um operador de partidos seja nomeado para os cargos — destacou Cabral, acrescentando que o mais importante é o sinal que o governo dá ao mercado de não interferência nessas empresas. — Haverá uma confusão regulatória, qual lei as empresas vão seguir, a nova ou a Lei das S.A.?

Há também pressão pelo veto à permissão para estatais usarem o RDC (Regime Diferenciado de Compras) no lugar da lei de licitações em alguns casos por parte do Sindicato da Arquitetura e Engenharia Consultivas e outras entidades. Outras críticas dizem respeito ao nível de detalhamento da proposta que entra em questão de regimento interno de autorregulação, como para que estatais lancem ações na Bolsa. Critica-se a exigência de conselheiros independentes na proporção de 25%, enquanto que a Lei das S.A. fixa 20%. Só o Ministério do Planejamento enviou nove sugestões de veto ao Planalto.

GOVERNO DEU AVAL PARA MUDANÇAS NA CÂMARA

Procurada, a assessoria de imprensa da Bovespa disse que seria necessário aguardar o texto final da nova legislação:

"Devemos aguardar a conclusão do processo de aprovações e sanção da Lei de Responsabilidade das Estatais mas, de forma geral, nos parece que essa nova lei traz contribuições importantes para este assunto", informou a Bolsa.

Parte da culpa pela pressão é do próprio Palácio do Planalto. Segundo parlamentares, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima tinha dado aval a Andre Moura para flexibilizar na Câmara a legislação, diante das mais de 800 nomeações pendentes em sua mesa. Parlamentares do PSDB, como o líder na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), e o senador Tasso Jereissati (CE) ficaram indignados com o esvaziamento do projeto e trabalharam para resgatar o texto original no Senado, com ajuda do presidente da Casa, Renan Calheiros.

Reajustes do Judiciário e do Bolsa Família contrariam o discurso de austeridade fiscal

Temer, na cerimônia em que anunciou o aumento para os beneficiados pelo Bolsa Família: aumento de despesas já começa a provocar críticas na sua base - Adriano Machado/Reuters

BRASÍLIA — Na contramão do discurso de austeridade fiscal do presidente interino, Michel Temer, medidas aprovadas ou patrocinadas por seu governo elevaram gastos públicos. Só na quarta-feira, Temer avalizou um aumento de despesas de mais de R$ 3,6 bilhões até o fim do ano, com o anúncio de reajuste dos benefícios do Bolsa Família (R$ 1,6 bilhão), acima do patamar proposto por Dilma Rousseff, e a aprovação no Senado do reajuste dos servidores do Judiciário e do Ministério Público da União (R$ 2 bilhões), apoiado pelo Palácio do Planalto.

Quando assumiu interinamente, em maio, Temer declarou não estar preocupado com popularidade e que seu governo "cortaria na carne" para arrumar as contas públicas. No entanto, as medidas de contenção de despesas anunciadas até agora, como a redução de ministérios e o corte de cargos comissionados, tiveram um impacto pequeno no orçamento. Pesa na decisão de Temer, de apoiar a expansão das despesas, a interinidade de seu governo.

Para tentar se viabilizar definitivamente no cargo, ele cedeu a pressões, pondo em risco o discurso da austeridade fiscal. Em contrapartida, procura pavimentar um caminho político sem tantos percalços, evitando greves de servidores e pressão de governadores, além de obter uma trégua dos movimentos sociais. Esses três segmentos foram os maiores beneficiados pelas ações do governo interino até agora.

SENADO APROVA REAJUSTE NO JUDICIÁRIO

Na quarta-feira, o Senado aprovou os projetos de reajuste dos servidores do Judiciário e do Ministério Público da União. As duas categorias terão um reajuste de 41,5%, a ser pago em oito parcelas, até 2019. O rombo nas contas públicas será de R$ 26 bilhões até 2019, sendo R$ 22,26 bilhões destinados ao Poder Judiciário e R$ 3,52 bilhões ao Ministério Público da União e ao Conselho Nacional do Ministério Público da União.

Nessa conta não está o impacto fiscal causado pela renegociação das dívidas dos estados com a União, de R$ 30 bilhões até 2017, nem o aumento dos servidores do Executivo, cuja votação está prevista para a próxima semana. A aprovação de todos os 14 projetos de reajuste dos três poderes significará um impacto de R$ 67,7 bilhões em 2018. Mas o gasto pode chegar a R$ 100 bilhões, conforme cálculos do PSDB, se forem somadas as parcelas de reajuste de 2019.

Em maio, quando a presidente afastada, Dilma Rousseff, anunciou o reajuste de 9% do Bolsa Família, a medida foi criticada por pelo menos dois importantes integrantes do governo Temer: o ministro da Educação, Mendonça Filho, e o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que, mesmo após ter se demitido do Ministério do Planejamento, atua como um dos principais consultores de Temer na área orçamentária. Ambos declararam em maio que o anúncio de Dilma era "populista". Na quarta-feira, o governo se desdobrou para justificar os aumentos e dizer que não pôs em prática um pacote de bondades.

Ao anunciar o reajuste do Bolsa Família de 12,5%, ainda maior do que os 9% prometidos e não cumpridos por Dilma em maio, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, explicou que os recursos virão do descongelamento do orçamento da pasta e do déficit previsto de R$ 170,5 bilhões na meta fiscal.

PRIMEIRA MEDIDA FOI AMPLIAR A META FISCAL

Quando Temer assumiu, a sua primeira medida foi ampliar de R$ 96,6 bilhões para R$ 170,5 bilhões a meta fiscal, sob o argumento de que Dilma subestimara e maquiara os números. Agora, a fonte para os aumentos é praticamente a mesma: a reprogramação da meta fiscal.

O aumento global no valor do Bolsa Família foi de R$ 2,23 bilhões ao mês para R$ 2,5 bilhões, uma diferença mensal de R$ 270 milhões. Até o fim do ano, o aumento terá um impacto de R$ 1,62 bilhão.

— Há uma situação dramática da economia. O governo reajustou sua meta e não se pode, em torno disso, sacrificar a política social. Não tem sentido deixar quebrar os estados. Dentro dos reajustes possíveis tem que se atacar as situações emergenciais, priorizando questões que são importantes para o governo — justificou o ministro Osmar Terra.

No Congresso para defender os reajustes dos servidores e do Bolsa Família, o ministro interino do Planejamento, Dyogo de Oliveira, disse que ambos esses gastos estavam previstos e estão adequados à lei orçamentária.

— Não se trata de pacote de bondades. O reajuste do Bolsa Família já estava anunciado, inclusive pelo governo anterior. O que não se pode é esperar que esse ajuste seja cobrado apenas de uma das parcelas da população (os servidores). É preciso que a gente vá ao longo do tempo, distribuindo o peso desse ajuste — disse o ministro.

Apesar das justificativas, aliados do governo demonstraram incômodo com as ações que parecem ir na contramão do discurso do ajuste. Na noite de terça-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, participou de um jantar com cerca de 50 senadores na residência do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), onde ouviu reclamações pelos sinais contraditórios do governo. Indagado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) sobre a necessidade de se votar os reajustes, o ministro, segundo participantes do encontro, foi evasivo. A senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) se irritou.

— O senhor tem que responder objetivamente — disse ela.

Na quarta, no Congresso, após o anúncio do reajuste do Bolsa Família, o clima entre os aliados ainda era incômodo. O líder do DEM na Câmara, deputado Pauderney Avelino (AM), afirmou, por exemplo, que esperava de Temer mais rigor e austeridade em relação aos gastos.

Temer busca apoio de Aécio para eleger aliado de Cunha na Câmara

Conversa entre aliados. Aécio Neves e Michel Temer tiveram conversa em jantar oferecido por ministro do STJ - Ueslei Marcelino / Reuters / 12-5-2016

BRASÍLIA — Pressionado pelo presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o presidente interino, Michel Temer, tenta um acordo com a antiga oposição, composta por PSDB, DEM, PPS e PSB, para viabilizar uma sucessão na Câmara com um nome de interesse do peemedebista. Na semana passada, Temer procurou o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), em busca de apoio a um deputado do centrão que assuma o mandato-tampão de presidente da Câmara até o final deste ano.

Na conversa ocorrida no Palácio do Jaburu, Temer explicou a Aécio que desejava ajudar na eleição de um presidente da Câmara que não trabalhe pela cassação do mandato de Cunha. O nome que melhor se encaixa nesse perfil, na análise do Palácio do Planalto, é o do deputado Rogério Rosso (PSD-DF).

Há resistências entre os partidos da antiga oposição, mas elas podem ser superadas — desde que haja um compromisso de apoio, por parte do governo e do PMDB, a um integrante de PSDB, DEM, PPS ou PSB para presidir a Câmara entre 2017 e 2019.

PLANALTO NEGA INTERFERÊNCIA

Segundo relatos, Temer demonstrou preocupação com Cunha, que tem buscado a ajuda do governo para não ter o mandato cassado. No encontro com o presidente interino, Aécio deixou claro que qualquer tipo de apoio da antiga oposição a Rosso depende de uma reciprocidade ano que vem.

Esta condição, na avaliação de auxiliares de Temer, pode atravancar o acordo. No centrão e no PMDB há candidatos que desejam disputar a presidência da Câmara no próximo ano. O Palácio do Planalto negou que pretenda interferir nessa eleição.

— Até admitiríamos um nome transitório agora, desde que haja um compromisso do Michel e do PMDB com esses partidos para o próximo ano. Não tem sentido o PMDB ficar novamente com a presidência das duas Casas, e este núcleo de partidos que possibilitou o impeachment de Dilma ficar de fora do comando — diz um tucano que participa das articulações.

Está prevista para a semana que vem uma reunião entre líderes da antiga oposição para que seja firmado um núcleo de ação conjunta. Há o temor de que, se não trabalharem unidos, esses partidos sejam atropelados pelas outras siglas que formam a base do governo Temer. Deputados da antiga oposição dizem que está fora de discussão a negociação de votos para salvar o mandato de Cunha.

REUNIÃO COM MINISTRO DO STJ

A aliados, Temer tem dito que não quer disputas na Câmara, porque isso pode desagregar a sua base, hoje com cerca de 350 deputados. Temer e Aécio voltaram a se encontrar na noite de terça-feira, em jantar oferecido pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) João Otávio Noronha, em comemoração à sua escolha como corregedor-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na ocasião, conversaram brevemente e ficaram de voltar a se reunir.

A ideia é ter um acordo o mais breve possível, já que a renúncia de Cunha à presidência da Câmara está prevista para o próximo mês. Interlocutores de Cunha dizem que ele está disposto a apresentar sua renúncia em 11 de julho, antes da votação do relatório sobre o processo de cassação do seu mandato na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ).

A renúncia seria um gesto para tentar convencer seus colegas a não aprovar a cassação de seu mandato. Ao GLOBO, porém, Cunha voltou a negar que pretende renunciar: "Não existe renúncia", disse, por mensagem de texto.

As contas que chegam aos líderes na Câmara são de que Cunha teria a seu favor cerca de 28 votos de um total de 66 integrantes na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Para aprovar o recurso a seu favor e devolver o caso ao Conselho de Ética — o que faria o processo contra Cunha retroagir praticamente à estaca zero —, o presidente afastado da Câmara precisa de maioria simples (metade mais um do total de presentes à sessão).

AUXILIARES: CUNHA PRETENDE RENUNCIAR

Auxiliares na defesa de Cunha junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) têm garantido a interlocutores que ele pretende renunciar ao cargo. Além do gesto político, destacam que a renúncia poderá lhe trazer efeitos benéficos. Os processos de que é alvo no STF deixariam de ser julgados pelo plenário da Corte — foro reservado aos presidentes da Câmara e do Senado — e iriam para a Segunda Turma do tribunal, comandada pelo ministro Gilmar Mendes. Além disso, os julgamentos na Segunda Turma não são televisionados, o que diminuiria a pressão sobre os ministros para condenar Cunha.

Estudo mostra que país tem 29 homicídios de crianças e adolescentes por dia


Italo foi morto pela Polícia Militar de São Paulo depois de furtar carro

Os assassinatos dos meninos Italo, 10, e Waldik, 11, neste mês de junho na cidade de São Paulo realçam um problema que tem números alarmantes no Brasil: a violência contra crianças e adolescentes. Um estudo divulgado nesta quinta-feira (30) mostra que o país ocupa o terceiro lugar em homicídios nessa faixa etária em um conjunto de 85 nações analisadas. Em 2013, último ano com dados disponíveis, foram assassinados 10.520 crianças e adolescentes no Brasil, o que resulta em uma média de 29 casos por dia.

A maioria das vítimas era negra, do sexo masculino e foi atingida por disparo de arma de fogo. "É um número bárbaro, extremamente elevado", afirma o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, autor do estudo e coordenador do Programa de Estudos sobre Violência da Flacso (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais), responsável pela série Mapa da Violência.

O estudo tem como base dados do Sistema de Informações de Mortalidade, do Ministério da Saúde, e compila estatísticas disponíveis desde 1980.

Jacobo frisa que, apesar de os números serem chocantes, o ritmo de crescimento da violência contra crianças e adolescentes vinha caindo. De acordo com o estudo, a alta dos homicídios foi de 174% na década de 1980, baixou para 63% na década de 1990 e para 7% na primeira década do século 21.

Os números totais de assassinatos apresentaram um declínio entre 2003 e 2010, mas voltaram a subir continuamente desde então. A alta de 2010 a 2013 foi de 21%. As causas naturais ainda são as maiores responsáveis pelas mortes de crianças e adolescentes, mas vêm caindo com constância.

A participação dos homicídios no total de mortes de crianças e adolescentes no país subiu de 9% em 2003 para 14% em 2013. No entanto, o ritmo de crescimento dessa participação caiu de 365% na década de 1980 para 56% na década passada e para 20% no período de 2010 a 2013.

Na avaliação do pesquisador da Flacso, políticas públicas como a campanha do desarmamento implantadas desde o início do século são as responsáveis pela contenção do ritmo de aumento da violência. A sociedade brasileira, afirma Jacobo, começou a se conscientizar de que o país é violento.

Por idade

Os dados de 2013 mostram que as mortes por causas externas superam as provocadas por causas naturais a partir dos 14 anos de idade e atingem o pico em termos proporcionais no final da adolescência.

"A principal causa responsável por esse incremento drástico nas causas externas são os homicídios que, representando algo em torno de 2,5% do total de mortes até os 11 anos de idade das vítimas, inicia um violento crescimento na entrada da adolescência, aos 12 anos de idade, quando pula para 6,7% do total de mortes; para 14,0%, aos 13 anos, para 25,1%, aos 14, e assim seguindo, até alcançar seu pico de participação, aos 17 anos de idade, quando atinge a marca de 48,2% da mortalidade", aponta Jacobo no Relatório Violência Letal Contra as Crianças e Adolescentes do Brasil.

Com uma taxa de 4,3 homicídios por cem mil habitantes, o Brasil é o terceiro país mais violento para crianças e adolescentes de 10 a 14 anos em uma lista de 85 nações. E fica na mesma posição, com uma taxa 16,3, na faixa de 1 a 19 anos. Nas duas situações, o Brasil só não é mais violento que o México e El Salvador, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Estados e capitais

Em números absolutos, a Bahia teve o maior número de assassinatos de crianças e adolescentes em 2013, com 1.171 casos. Entretanto, a taxa por cem mil habitantes mais alta é a de Alagoas, com 43 homicídios, o que representou um aumento de 193% em relação a 2003, quando o Estado era o sétimo mais violento para crianças e adolescentes – na época, o Rio tinha o índice mais elevado.

Entre as capitais, Fortaleza (CE) tem as estatísticas mais altas, tanto em números absolutos (651) quanto na taxa por cem mil habitantes (81). Em 2003, a capital cearense era a terceira menos letal para crianças e adolescentes. Em dez anos, sua taxa por cem mil habitantes cresceu 756%.

Segundo Julio Jacobo, ainda há subnotificação dos casos de homicídios. O problema, atualmente, diz o sociólogo, é que Estados registram muitas mortes sem determinar suas causas. Na Bahia, por exemplo, 4,2 das mortes de crianças e adolescentes de 1 a 19 por cem mil habitantes não tiveram a causa determinada no registro.

Para o autor do relatório, o crescimento da violência no interior do Brasil e em regiões como o Nordeste reflete um descompasso entre o desenvolvimento econômico e a estrutura do Estado, que tem fragilidades na área da segurança pública. "Os novos polos de crescimento atraem investimento, mas também atraem marginalidade. Têm dinheiro, têm bancos, mas a estrutura do aparelho do Estado não acompanha esse processo de modernização", afirma Jacobo. 

Julgamento final do impeachment no Senado será a partir do dia 22 de agosto

O julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff ocorrerá "em torno" do dia 20 de agosto. Como este dia será em um sábado, a votação provavelmente ocorrerá na semana seguinte, a partir do dia 22 de agosto. O anúncio´foi feito pelo presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL)...

Renan esteve ontem com a presidenta afastada em reunião no Palácio da Alvorada. Entre outras coisas, Dilma questionou sobre o calendário do processo. "Eu respondi que nós terminamos agora a fase da inquirição das testemunhas, teríamos a parte de discussão das perícias, depois as alegações finais, a pronúncia ou impronúncia e o julgamento final, se for o caso, deve acontecer em torno do dia 20 de agosto", disse o presidente.

Ainda segundo Renan, Dilma está "triste, mas aguerrida" e fez, junto com ele, uma avaliação da situação econômica, política e fiscal do país. Sobre o governo do presidente interino, Michel Temer, "ela não quis fazer consideração mas compreende a crise como grave e acha que algumas mudanças precisam ser retomadas no Brasil", disse Renan.

O presidente do Senado disse ainda que Dilma não falou com ele sobre a proposta de convocação de novas eleições no país neste momento, caso ela volte ao poder. Segundo ele, esta questão seria muito difícil, porque precisaria do apoio de três quintos dos parlamentares. "Não acredito na possibilidade dessa perspectiva preponderar. A única solução posta que nós temos no Brasil, constitucional, é a continuidade do presidente da Republica em exercício", disse.

PB Acontece

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Policiais evitam duplo homicídio e prendem homens com carro roubado no Cariri

Nesta quarta feira (29), por volta das 10 horas, os Policiais Militares da Cidade do Congo (Cabos Vagner e Rufino e o Sd Ferdinando) conseguiram prender dois homens que estavam em um fiat uno Way de placa PFC 0877, verde abacate, ano 2013, roubado na cidade Toritama-PE.

Eles vinham do Distrito do Carmo em direção a cidade do Congo armados. Um dos integrantes da dupla é conhecido e natural da cidade do Congo. Túlio Ramon da Costa já tem passagem pela polícia por roubo e tentativa de homicídio no município de Coxixola.

O outro comparsa é Welligton Belmiro dos Santos, da cidade de Santa Cruz do Capibaribe (PE). Os dois ainda adiantaram aos Policiais Militares que estavam de posse de uma moto roubada que foi deixada em Toritama nesta manhã de quarta, momento em que tomaram o carro por assalto e vieram até o Congo.

A dupla foi ouvida pelo Delegado Dr. Paulo Rabelo na Delegacia de Monteiro. Com eles estavam dois revólveres. Segundo apurou a própria polícia, eles estariam no Cariri para cometer um duplo  homicídio. A partir de confissão dos próprios acusados, as vítimas seriam Antônio Borges que mora no Congo e Almendes, morador do Sítio Lagoa da Ilha, também no Congo.

De Olho no Cariri
Com informações de Jacqueline Oliveira

Tribunal manda prender prefeito do Sertão e determina afastamento do cargo

Prefeito foi condenado a quatro anos e nove meses de prisão (imagem: reprodução internet)

O Tribunal Regional Federal da 5ª região (TRF-5), em Recife,  mandou expedir, nesta quarta-feira (29), mandado de prisão contra o prefeito da cidade de Marizópolis,  José Vieira.

O gestor da cidade sertaneja foi condenado por crime de responsabilidade na aplicação de recursos públicos federais em obras sanitárias no município. A pena é de  quatro anos e nove meses a ser executada pela Justiça Federal de 1ª instância, em Sousa.

A decisão também determina que o gestor deixe a função de prefeito imediatamente.

Com o afastamento de José Vieira, o vice-prefeito da cidade,  José Lins Braga, assumirá o cargo.

Roberto Targino – MaisPB

Agricultor morre após ser atingido por porco em acidente na BR


QAP 24 Horas

Um agricultor, identificado como Reginaldo de Souto Maciel, de 61 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (29),após ser atingido por um porco, na BR-104, próximo a cidade de Queimadas, no Agreste paraibano.

Segundo informações de populares, a vítima seguia de bicicleta na rodovia quando o animal caiu de cima de um caminhão e o atingiu.

O Serviço de Atendimento Móvel e Urgência (SAMU) foi acionado, mas o agricultor morreu no local do acidente.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local e efetuou os procedimentos legais.

De acordo com informações da Polícia Civil, o condutor do veículo fugiu do local sem prestar socorro a vítima.

Isaac Pinto- MaisPB

Diretor do sine é exonerado após chamar prefeita de “gestora fuleira”


Prefeita foi criticada nas redes sociais (foto: reprodução internet)

Após chamar a prefeita de Alagoinha, Alcione Beltrão (PHS), de "gestora fuleira" em um grupo de WhatsApp, o diretor do Sine de Guarabira, Carlos Madson, foi exonerado do cargo. A exoneração foi publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (29).

Exoneração foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (imagem: reprodução)

De acordo com fontes do Portal MaisPB,  no brejo paraibano,  o governador Ricardo Coutinho teria exonerado  o auxiliar em solidariedade à prefeita Alcione Beltrão, aliada política do chefe do Executivo Estadual.

Diretor do sine chamou criticou gestora em grupo de WhatsApp (imagem: reprodução)

Roberto Targino – MaisPB

Temer anuncia reajuste de 12,5% para o Bolsa Família

O presidente Michel Temer anunciará às 11h desta quarta-feira um reajuste médio de 12,5% no Bolsa Família.

O aumento no benefício não deverá ser linear. No ato de Primeiro de Maio da CUT, pouco antes de ser afastada, Dilma Rousseff havia anunciado um reajuste médio de 9% no programa, que atende 47 milhões de pessoas.

Na época, peemedebistas como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, então ainda no cargo, classificaram a medida como irresponsabilidade fiscal.

Temer deverá anunciar a partir de quando vai vigorar o reajuste e de onde sairão as receitas para bancá-lo, uma vez que o governo anunciou corte de gastos públicos e foco no reajuste fiscal.

Os 12,5% serão em substituição aos 9% anunciados por Dilma. O discurso será de que o governo Temer concederá um reajuste 30% superior — para tentar conter o discurso do PT de que o governo Temer acabaria com os programas sociais.

Cariri Ligado

Licença maternidade passa a 6 meses para mães de bebês com microcefalia

Mães que tiverem filhos com microcefalia passam a ter direito à licença maternidade de 180 dias, conforme publicado na edição dessa terça-feira (28) do Diário Oficial da União (D.O.U). A licença v ale para casos da doença congênita ou com sequelas neurológicas relacionadas às transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Segundo a publicação, a licença é válida independente do regime de contratação. Antes, o benefício era de 120 dias para mulheres contratadas sob regime de CLT em empresas privadas.

Ainda conforme a lei, bebês com microcefalia provocadas por doenças do Aedes têm direito ao benefício de prestação continuada, que é concedido a pessoas com deficiência, por até três anos.

O benefício é de um salário mínimo (R$ 880,00), para famílias com renda menor de R$ 220.

Cariri Ligado

Quadrilha assalta Correios de Taperoá e na fuga rouba carro de funcionário da agência

A agência dos Correios de Taperoá foi assaltada na manhã desta quarta-feira (29). Por volta das 08:30, cinco homens fortemente armados entraram na fila da agência, que ainda estava fechada, esperaram sua abertura e três deles entraram e tocaram o terror já com muitos clientes no interior do estabelecimento.

Os bandidos renderam o vigilante, fez muitas ameaças a clientes e funcionários, mas não agrediu ninguém. "O terror foi grande junto a todos os presentes na agência", disse o gerente ainda bastante atormentado.

Na fuga, os bandidos ainda assaltaram um Cross Fox Preto pertencente a um dos funcionários da agência e fugiram na direção da estrada que dá acesso a cidade de Livramento, abandonando o veículo.

A polícia está em diligência, mas não conseguiu localizar ninguém. O valor subtraído da agência não foi informado pela gerência dos Correios, mas acredita-se que tinha um bom numerário, pois era dia de pagamento dos funcionários.

De Olho no Cariri
Com informações de Luciano Silva

Prazo de inscrições no Fies do segundo semestre termina nesta quarta

Termina nesta quarta-feira (29), o prazo de inscrições no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O candidato interessado em financiar um curso de ensino superior em instituição privada pode se cadastrar pelo site do programa. Estão senod oferecidos 75 mil financiamento...

Para participar da seleção, é preciso ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010 com 450 pontos na média das provas, além de ter tirado nota maior que 0 na redação. Os candidatos precisam ainda ter renda familiar bruta por pessoa de até três salários mínimos, o que equivale a R$ 2.640.

O interessado pode se inscrever apenas para um curso. A opção pode ser alterada até o fim do prazo de inscrição. Uma vez por dia, o MEC divulga a nota de corte de cada curso, que é a estimativa da nota mínima para ser aprovado com base nas inscrições feitas até o momento. A nota de corte não é calculada em tempo real e não garante a vaga ao estudante.

O resultado será divulgado no próximo dia 30. Aqueles que não forem selecionados serão automaticamente inscritos na lista de espera. As vagas que não forem ocupadas pelos estudantes pré-selecionados serão ofertadas à lista de espera de 4 de julho a 10 de agosto.

O Fies oferece financiamento de cursos superiores em instituições privadas a uma taxa de juros de 6,5% ao ano. O percentual do custeio é definido de acordo com o comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita do estudante. Atualmente, 2,1 milhões de estudantes participam do programa.

PB Acontece

Servidores da saúde de Campina deflagram greve por tempo indeterminado

Os servidores da saúde da Prefeitura de Campina Grande entram em greve por tempo indeterminado nesta quarta-feira (29). A categoria reclama da intolerância do prefeito Romero rodrigues em não negociar com a classe...

Os servidores reivindicam, segundo o Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab), o cumprimento do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos profissionais da saúde, o pagamento do salário dentro do mês trabalhado e enquadramento dos servidores da saúde e dos Agentes Comunitários de Saúde e Agente de Combate às Endemias nos seus respectivos planos".

O sindicato informa que a categoria irá respeitar o percentual de 30% dos servidores em atividade e que espera uma solução.

PB Acontece

Governo paga primeira parcela do 13º aos aposentados em agosto

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, informou na tarde dessa terça-feira (28) que o governo vai retomar o calendário de pagamento do 13º salário dos aposentados e pensionistas que recebem pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Com isso, a primeira parcela do benefício começará a ser paga no dia 25 de agosto. No ano passado, em virtude da crise, o governo da presidenta afastada Dilma Rousseff adiou o pagamento da primeira parcela do 13º salário de agosto para setembro.

A segunda parcela deste ano será paga a partir de 24 de novembro.

O anúncio foi feito por Padilha após reunião com o grupo de trabalho que discute alternativas para a reforma da Previdência, no Palácio do Planalto.

Aeroporto que custou R$ 15,6 mi é invadido por mato e animais em MS

Homem como moto espanta os cavalos na pista do aeroporto de Porto Murtinho, na sexta-feira passada (24), para o pouso de avião (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)

O aeroporto de Porto Murtinho, na região sudoeste de Mato Grosso do Sul, vive uma situação de abandono. Inaugurado em 2009 com investimento de R$ 15,6 milhões da União e do governo estadual, o local foi liberado para operação só em 2014, quando a Secretaria de Aviação Civil (SAC) homologou a estrutura e entregou a administração à prefeitura. O prefeito Heitor Miranda dos Santos (PT) nega o abandono e diz que os problemas são pontuais.
Animais deixam rastro de fezes em pista do Aeroporto de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)Animais deixam rastro de fezes em pista do
aeroporto (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)

A área em torno da pista está tomada pelo mato alto. A única edificação instalada na estrutura e que serviria de apoio para quem chega ao local, já que o aeroporto não tem receptivo, está com várias telhas quebradas e uma parte da cerca caiu, possibilitando o acesso de animais à própria pista do aeródromo, o que acaba colocando em risco a vida de quem se aventura a pousar ou decolar do local.

"Na sexta-feira passada, um produtor rural que ia pousar no aeroporto teve que ligar antes para seus funcionários na cidade e pedir para que eles fossem até o local espantar os animais que estavam na pista, porque senão ele não teria condições de descer com o avião. E eles fizeram isso, entraram com uma caminhonete dentro da pista e tocaram alguns cavalos que estavam lá", afirmou o radialista e vereador Edicarlos Oliveira (PSDB).

A pista de pouso e decolagem do aeroporto é toda asfaltada. Tem 1.300 metros de comprimento e 30 metros de largura. O aeródromo não recebe nenhuma linha regular, a estrutura é utilizada somente para pouso de aeronaves particulares, e que representam menos de um voo por dia, pousando ou decolando do local.

Cerca caída possibilita a entrada de animais na área do Aeroporto de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)Cerca caída possibilita a entrada de animais na área do Aeroporto de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)

Diante da facilidade de acesso e do pouco uso da estrutura que demandou um investimento milionário, alguns moradores da cidade chegam a usar a pista, conforme denúncia do radialista e vereador, como pista de caminhada. "Conversando com vizinhos, eles disseram que a cerca está caída há alguns anos", afirmou Oliveira.

O prefeito de Porto Murtinho, Heitor Miranda dos Santos, negou ao G1 que o aeroporto da cidade esteja abandonado. Segundo ele, o município paga duas pessoas para tomarem conta da estrutura e afirmou ainda que desconhecia o problema da queda da cerca no entorno do aeródromo, o que possibilitou a entrada de animais na pista.

Estrutura de apoio do Aeroporto de Porto Murtinho está com o telhado todo quebrado (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)Estrutura de apoio está com o telhado quebrado
(Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)

"Se ocorreu, faz pouco tempo [queda da cerca] e se animais entraram na pista, foi um caso pontual, não ocorre frequentemente", afirmou, completando que determinaria para que o secretário de Obras do município recuperasse a cerca e providenciasse a limpeza do entorno da pista.

O prefeito reconheceu, entretanto, que o aeroporto não é prioridade para o município. "Somos um município pequeno, não temos como cuidar do aeroporto, para isso precisamos de uma parceria com a iniciativa privada para transformar a estrutura em um aeródromo para o Mercosul, o que vai alavancar o turismo e a economia da região. Enquanto não conseguimos isso fica difícil. Temos que priorizar investimentos em áreas como saúde e educação", admitiu Heitor Miranda.

Mato alto na cabeceira da pista do Aeroporto de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)Mato alto na cabeceira da pista do Aeroporto de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul (Foto: Edicarlos Oliveira/Arquivo Pessoal)

Campanha de 'Dilma' recebeu R$ 2 mi de investigada na operação Boca Livre

Uma das empresas citadas nas investigações da Operação Boca Livre, que apura fraudes na captação de recursos para projetos culturais via Lei Rouanet, o Laboratório Cristália doou 5,2 milhões de reais a partidos políticos e candidatos a presidente e a deputado federal, estadual e distrital, nas eleições de 2010 e 2014.

A presidente afastada Dilma Rousseff foi a candidata que mais recebeu recursos do laboratório investigado no esquema que desviou cerca de 180 milhões de reais da lei destinada a incentivar a cultura nacional por meio de incentivos fiscais. A campanha da petista recebeu 2 milhões de reais nas eleições de 2014 da Cristália Produtos Químicos e Farmaceuticos Ltda.

O valor destinado ao caixa de Dilma corresponde a 46% dos 4,3 milhões de reais doados pelo laboratório a campanhas políticas em 2014. Além da petista, o único candidato a receber dinheiro da empresa em 2014 foi o ex-deputado federal Newton Lima (PT-SP), com 75.000 reais. O restante das doações foi rateado entre diretórios nacionais e regionais de PSDB (1,5 milhão de reais), PT (500.000 reais), PCdoB, (110.000 reais), PSC (90.000 reais) e PMDB (50.000 reais).

Quatro anos antes, em 2010, o Cristália já havia distribuído 900.000 reais entre candidatos e partidos. O ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz (PSDB), que recentemente teve o mandato cassado pela Justiça, foi o preferido do laboratório: recebeu 300.000 reais em doações de campanha.

A seguir aparecem o deputado federal e ex-ministro da Saúde Saraiva Felipe (PMDB-MG), com 80.000 reais; Newton Lima, com 70.000 reais; e Vivaldo Barbosa (PSB-RJ), com 20.000 reais. Foram agraciados com 10.000 reais cada um Apolinário Rabelo (PCdoB-DF), Augusto Carvalho (SD-DF) e Roberto Eduardo Giffoni (DEM-DF), este réu no mensalão do DEM no Distrito Federal.

Entre os partidos, o PSDB recebeu naquela eleição 250.000 reais em doações eleitorais da empresa alvo da Boca Livre; o PT levou 150.000 reais.

BOCA LIVRE
Segundo os investigadores da operação deflagrada na manhã desta terça-feira, as empresas que patrocinavam os projetos fraudados da Lei Rouanet se beneficiavam duas vezes do esquema: pela parcela do superfaturamento que era repassada a elas e também por meio da dedução do imposto de renda, conforme prevê a lei. Além disso, em alguns casos, a Controladoria-Geral da União (CGU), que atuou em parceria com a Polícia Federal nas investigações, identificou o pagamento de propina de 30% dos valores captados junto ao Ministério da Cultura, que seriam pagos por esse grupo de produtores culturais às empresas patrocinadoras.

Além do Ministério da Cultura e do Cristália, as investigações citam as empresas Bellini Eventos Culturais, Scania, KPMG, o escritório de advocacia Demarest, Roldão, Intermedica Notre Dame, Lojas 100, Nycomed Produtos Farmacêuticos e Cecil. O casamento do filho do empresário Antonio Carlos Bellini Amorim, do Grupo Bellini, em Jurerê Internacional, em 25 de maio deste ano, seria um dos eventos bancados com verbas da Lei Rouanet. Em dois vídeos sobre o evento, divulgados em redes sociais, um no dia anterior ao casamento e outro na cerimônia, é possível ver os convidados com taças de bebidas.

Fonte: Com informações do Uol

Falar a Verdade é preconceito?: Patricia Abravanel fala de forma preconceituosa da África e 'apanha'

A apresentadora Patricia Abravanel segue bem os passos do pai, Silvio Santos, que fala o que tem vontade e outro dia ofendeu uma gordinha da sua plateia ao dizer que precisaria reforçar o piso do programa por causa dela. Depois de dizer que "homossexualismo (sic)" não era uma coisa "normal", Patricia dirigiu sua metralhadora de preconceitos contra os africanos. Em uma espécie de discurso feito neste domingo, em participação no programa do pai, ela deu a entender que a África é economicamente atrasada por ser muito mística, enquanto "os Estados Unidos é (sic) mais racional, protestante". A própria Patricia Abravanel é protestante, vale lembrar: ela é evangélica.

"Em países muito místicos (...), muitas vezes o povo deixa de trabalhar porque fica tão místico que deixa de fazer as coisas certas para poder chegar num objetivo. Em países mais racionais, que têm uma fé em Deus, mas acredita no esforço, no suor, no trabalho, no você se portar, ter um casamento e ter que cuidar dele, esses países vão mais pra frente. Então, um exemplo: a África é muito mística, e a gente vê as consequências, e os Estados Unidos é mais racional, protestante, onde acredita no suor. Então, eu acho que a gente tem que avaliar nossa crença através dos frutos que elas nos trazem", disse, em nova patacoada.

Mas foi só a apresentadora bater na tecla do preconceito para apanhar nas redes sociais. Embora alguns usuários a defendam, de maneira geral Patricia tem sido alvo de críticas. "Patricia Abravanel só abre a boca pra dar close errada", diz uma, em referência à fala da filha de Silvio Santos. "É isso o que acontece quando você fica dormindo nas aulas de história, Patricia Abravanel", gongou outro.

A batatada aconteceu no domingo, e na manhã desta terça-feira a apresentadora ainda é um dos assuntos mais comentados -- e ironizados -- do Twitter.

Novo delator diz que repassou R$ 30 milhõe a Renan, Jucá e Eduardo Braga

Uma nova delação premiada firmada com a Procuradoria-Geral da República aponta o suposto repasse de propinas milionárias para senadores do PMDB, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Eduardo Braga (AM). Nelson Mello, ex-diretor de Relações Institucionais do Grupo Hypermarcas, afirmou em depoimento aos procuradores que pagou 30 milhões de reais a dois lobistas com trânsito no Congresso para efetuar os repasses. Lúcio Bolonha Funaro e Milton Lyra seriam os responsáveis por distribuir o dinheiro para os senadores.

Mello depôs em fevereiro e, em seguida, deixou o cargo que ocupava no Hypermarcas. O advogado da empresa, José Luís Oliveira Lima, não quis se manifestar sobre o caso. A Procuradoria-Geral da República vai pedir ao Supremo Tribunal Federal que as afirmações envolvendo os políticos sejam investigadas. O relato não é alvo de inquérito na Operação Lava Jato. As informações repassadas por Mello referem-se à atuação de parlamentares na defesa de interesses da empresa no Congresso.

Os lobistas, segundo Mello, diziam agir em nome de políticos e que estes poderiam tomar iniciativas de interesse da empresa e do setor no Congresso. Segundo o delator, Lúcio Funaro se dizia "muito próximo" do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e de outros peemedebistas da Casa. Já Milton Lyra afirmava agir em nome dos senadores "da bancada do PMDB" que teriam sido destinatários da maior parte da propina.

Mello disse que conheceu os lobistas em Brasília. Ele afirmou que se "ajustou" com Funaro e Lyra para "se aproximar" do poder. Seu objetivo, declarou, era "proteger" o mercado que representava. Disse ainda que, para ele, o setor "tinha que ter uma proteção legal".

Mello trabalhou por mais de vinte anos no Hypermarcas. Ele afirmou que "ressarciu" o grupo daquele montante que disse ter repassado aos lobistas. Segundo ele, a empresa Hypermarcas "não auferiu nenhuma vantagem nem sofreu prejuízos porque foi reembolsada".

O executivo citou vários nomes em sua delação premiada, incluindo Renan, Jucá, Braga e Cunha. Na Operação Lava Jato, Funaro já foi apontado como operador de Cunha e responsável por viabilizar o escoamento de propina das empreiteiras para as contas do deputado afastado fora do país.

Os investigadores chegaram a mapear dois carros - um Hyundai Tucson e uma Land Rover Freelander - em nome da empresa C3 Produções, da mulher de Cunha, Cláudia Cruz, mas que foram pagos por empresas ligadas a Funaro. Também na Lava Jato, os irmãos Milton e Salim Schahin, do grupo Schahin, disseram aos investigadores que foram ameaçados por Funaro por causa de problemas em obra de interesse dele e de Cunha.

Ainda na investigação do cartel que atuou na Petrobras, Lyra foi apontado como operador de Renan e seu nome apareceu em uma anotação apreendida no gabinete do senador cassado Delcídio Amaral (sem partido-MS). No documento, ele está relacionado a um suposto pagamento de 45 milhões de reais em propina para o PMDB. Em outra frente da Lava Jato, que apura desvios em fundos de pensão, Lyra é investigado por aparecer como operador de duas empresas que captaram 570 milhões de reais do Postalis, o fundo de pensão dos Correios.

Todos os parlamentares citados negam envolvimento em irregularidades.
Em nota, o Grupo Hypermarcas diz que não é alvo de investigações e que não se beneficiou de atos praticados pelo ex-executivo do grupo Nelson Mello, segundo comunicado enviado na manhã desta terça-feira à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). De acordo com a Hypermarcas, Mello exerceu o cargo de Diretor de Relações Institucionais até o início de março. Após sua saída, a companhia afirma que conduziu uma auditoria, que concluiu que Mello "autorizou, por iniciativa própria, despesas sem as devidas comprovações das prestações de serviços". Ainda segundo o documento, a Hypermarcas celebrou com o ex-executivo um instrumento para assegurar o ressarcimento integral dos prejuízos sofridos.

Miss Brasil 2004 é encontrada morta em casa em Gramado, RS


Fabiane foi encontrada morta em casa (Foto: Reprodução/Facebook)

A Miss Brasil 2004 Fabiane Niclotti, de 31 anos, foi encontrada morta na noite desta terça-feira (28) em Gramado, cidade da Serra gaúcha. Ainda não há informações sobre as causas da morte da modelo. A Polícia Civil investiga o caso.

A Polícia Civil informou ao G1 que o irmão da modelo relatou ter tentado telefonar para ela diversas vezes ao longo do dia. Fabiane, no entanto, não atendeu as ligações. O irmão, então, chamou a polícia.

Os agentes entraram na casa e encontraram o corpo da miss. Ela estava sozinha na residência. Não foi informado se havia ferimentos e nem em quais condições estava o corpo. A perícia foi acionada e deslocada até a casa, que fica em um condomínio residencial na cidade.

Fabiane Niclotti foi eleita Miss Rio Grande do Sul em 2003. No ano seguinte, conquistou a coroa de Miss Brasil. No mesmo ano, disputou o Miss Universo 2004 mas não se classificou entre as semifinalistas.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Homem é preso acusado de estupro em Monteiro.

Um homem morador de Pernambuquinho  Eusmário Malaquias da Silva, de 29 anos conhecido como Dinho, foi preso em flagrante após  invadir uma residência  e estuprar uma mulher na manhã de hoje na cidade de Monteiro. O estuprador usou uma faca para ameaçar a vítima.

O fato aconteceu por volta das 6 e meia da manhã. A vítima tem 33 anos de idade é casada e o seu algoz deixou o marido da vítima sair para consumar o estupro que aconteceu na frente de uma criança de 3 anos de idade.

O acusado já tem passagem pela Polícia por furtos. A guarnição da Polícia Militar composta pelo Sgt J. Vinicio,Cb. Romão e Sd Oliveira  logo ao saber do fato, se dirigiu rapidamente até o local  e constatou que  o suspeito ainda se encontrava próximo após realizar incursões os Sd. Iques e Sd.  W. Feliphe conseguiram  localizar o indivíduo  que novamente tentou fugir, tendo sido frustrado pelos Policiais Militares.

Na delegacia o acusado assume que teve relações sexuais com a mulher ,mas nega ter usado a faca. O inquérito está no comando do  Delegado Paulo Rabelo.

Paulo Viana e Jacquelline Oliveira

Galdino condena possível vinda de Temer à Paraíba para inaugurar viaduto após cortar recursos


Adriano Galdino, presidente da ALPB (Foto: Walla Santos)

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Adriano Galdino (PSB), rebateu a declaração do ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), sobre a possível vinda do presidente interino Michel Temer para a inauguração do viaduto do Geisel, em João Pessoa.

"É, no mínimo, incoerente da parte do ministro e do presidente querer vir à Paraíba participar da inauguração da obra do Viaduto do Geisel depois de suspender o repasse dos recursos. Sair na foto depois que a festa está pronta é bom demais", afirmou o presidente da Assembleia Legislativa.

Adriano lamentou a retirada dos recursos e afirmou que a Paraíba não pode ser penalizada por ações mesquinhas. "Eles voltaram atrás depois da pressão da sociedade e enviaram apenas R$ 3,8 milhões, dando uma justificativa pífia, umas vez que os próprios técnicos da Caixa atestaram a medição da obra. O viaduto, os recursos dele pertencem ao povo da Paraíba. É lamentável um político ir contra obras e ações que beneficiam a população apenas por vaidade política", avaliou Galdino.

Subtração dos recursos

No início do mês, o governador Ricardo Coutinho denunciou que o governo federal retirou R$ R$ 17,8 milhões já creditados na conta do  Estado que seriam destinados justamente à conclusão do Viaduto Eduardo Campos, no Geisel.

De acordo com a superintendente da Suplan, Simone Guimarães, o corte no repasse realizado pelo Ministério das Cidades ocasionará um saldo devedor de quase R$ 1 milhão para o Governo da Paraíba. Segundo ela, o repasse é desproporcional à medição da obra, que está com mais de 62% das obras realizadas.

ClickPB

Operação Desumanidade: MPF pede e TRF5 autoriza publicação de imagens de empresários foragidos

O Ministério Público Federal (MPF) pediu e o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) autorizou a publicação das imagens de três envolvidos na segunda fase da Operação Desumanidade, deflagrada na manhã desta terça-feira, 28 de junho, no Sertão paraibano. Trata-se dos empresários foragidos: José Aloysio da Costa Machado Júnior, José Aloysio da Costa Machado Neto e Cláudio Roberto Medeiros Silva, investigados por organização criminosa, fraude à licitação, desvio de recursos federais e lavagem de dinheiro...

Foram expedidos 3 mandados de prisão preventiva contra José Aloysio Júnior, José Aloysio Neto e Cláudio Roberto - ainda não cumpridos -, além de 14 conduções coercitivas e 2 mandados de busca e apreensão – cumpridos.

Os cidadãos devem comunicar a qualquer órgão de segurança pública o paradeiro dos foragidos. Os mandados estão incluídos no banco nacional de mandados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A segunda fase da Operação Desumanidade foi deflagrada na manhã desta terça-feira, 28 de junho, pelo Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria Regional da República da 5ª Região (PRR5), em Recife, da unidade do MPF em Patos (PB) e com apoio de agentes da Polícia Federal, auditores da Controladoria-Geral da União e Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. A primeira fase foi deflagrada em 4 de dezembro de 2015.

PB Acontece
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...