terça-feira, 31 de maio de 2016

Ricardo anuncia saída de Aristeu Chaves do Detran para disputar Prefeitura de Camalaú

Na tarde desta terça-feira (31) o Governador Ricardo Coutinho usou das redes sociais para anunciar duas importantes mudanças no Governo Estadual.

No twitter, Ricardo anunciou que a assistente social Kelly Samara será a nova Secretária de Estado do Desenvolvimento Humano, substituindo Cida Ramos (PSB) que sai para disputar a Prefeitura de João Pessoa.

"Nomeei a Assistente Social Kelly Samara como Secretária de Estado do Desenvolvimento Humano. Substitui Cida Ramos que vai fazer JP, melhor", disse o Governador.

Ricardo ainda anunciou a saída do caririzeiro Aristeu Chaves da Superintendência do Detran. Segundo o socialista, Aristeu disputará a prefeitura de Camalaú, cidade onde já foi gestor.

"Também nomeei o advogado Agamenon Vieira como novo Superintendente do Detran-Pb. Substitui Aristeu Chaves, que voltará a governar Camalau", twittou Ricardo.

Com Paraiba Mix

Deputado lamenta insegurança no Cariri e faz apelo por aumento do efetivo policial

O deputado João Henrique (DEM) fez um pronunciamento na tribunda da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), nesta terça-feira (31), e lamentou o atual nível de insegurança registrado na região do Cariri Paraibano que, neste fim de semana, foi alvo de criminosos que explodiram bancos, fizeram arrastão em mercado público, assaltaram correspondente bancário, dentre vários outros crimes registrados na região.

O parlamentar destacou que o aumento da violência é registrado em todo Brasil e que na Paraíba não é diferente, porém, no Cariri paraibano a situação é vexatória e veementemente preocupante. "Recentemente, exatamente em 10 dias, foi registrada a prática de diversos crimes no nosso tão abandonado Cariri. Na Praça de Boa Vista para sair em Monteiro, e cidades circunvizinhas, foram registrados cerca de sessenta crimes terríveis. Já no último fim de semana bandidos explodiram o banco e assaltaram um correspondente bancário em Sumé e deixaram a população em pânico na cidade. Bandidos ainda protagonizaram um verdadeiro arrastão na feira de Serra Branca. As autoridades policiais, é verdade, dentro de suas delimitações tem feito o que é possível, para coibir, controlar e ajudar, no entanto, sabemos que o gargalo é bem maior e que as dificuldades estão bem mais açodadas. Falta exatamente o que nós chamamos de efetivo, por isso, fica aqui o nosso veemente apelo ao Governo do Estado, para que possa rever o nível dessa situação de segurança pública ao qual está submetido o estado da Paraíba e particularmente, hoje, o nosso Cariri", desabafou João Henrique.

O parlamentar continuou o seu pronunciamento na tribuna fazendo um apelo por reforço policial na região, reconhecendo que as dificuldades são grandes, mas afirmando que é necessário punho forte por parte do Governo do Estado, do comandante da Polícia Militar e, principalmente, do secretário da Segurança Pública que são indiretamente os maiores responsáveis pela situação caótica na falta de segurança da Paraíba. "Nossa segurança pública deveria ter um comando bem melhor. Se não querem trabalhar, chamem o governador, entreguem seus cargos e passem eles a um coronel de pulso firme, a um oficial que queira realmente dar um basta nessa bandidagem. O secretario Cláudio Lima já deveria ter deixado o cargo há muito tempo porque não vejo nenhum esforço por parte do secretário da Segurança Pública que está deixando as coisas ocorrerem, pra ver como fica", finalizou o deputado.

De Olho no Cariri

Mulher Melão repete pose em capa de revista cinco anos depois: ‘O recheio de hoje está bem melhor’


Num intervalo de cinco anos, Mulher Melão usa a mesma pose na capa de mais um ensaio nu. Na edição especial da "Playboy", lançada em 2011, Renata Frisson aparece completamente nua, usando apenas um saltão, agachada, valorizando seus atributos mais famosos. Na atual edição da "Sexy", ela aparece fazendo a mesma pose provocante, mas segundo a própria Melão, com um corpo melhor:

"O tempo passa e o corpo agradece! A capa pode ser até igual, mas o recheio de hoje esta bem melhor (risos). Tem muito mais melão e abusada!", diz Melão, que posou nua numa comunidade de São Paulo, sob os olhares atentos dos moradores.

Mulher Melão na Mulher Melão na "Playboy", em 2011, e na "Sexy", em junho de 2016 Foto: divulgação

Mulher Melão posou para a Mulher Melão posou para a "Sexy" numa comunidade de São Paulo Foto: divulgação

Renata Frisson, a Mulher Melão, na Renata Frisson, a Mulher Melão, na "Playboy" em 2011 Foto: divulgação

Extra

Prefeitura gasta quase R$ 90 mil com ‘residência oficial’ de prefeito


Prefeito de Itabaiana, Antônio Carlos (PMDB)

A prefeitura de Itabaiana, no Agreste paraibano, gastou, conforme levantamento feito junto ao Sagres, do Tribunal de Contas da Paraíba, o equivalente a R$ 88.351,83, com a locação de um imóvel destinado a instalações da residência oficial do prefeito Antônio Carlos, nos últimos quatro anos.

Apesar do imóvel alugado na cidade, informações dão conta que o gestor tem residência fixa em João Pessoa, onde é visto em shoppings centers com frequência no 'horário do expediente'.

De acordo com o levantamento, o valor atual do aluguel da residência vem custando R$ 2.621,69 aos cofres do municípios. O montante pago pela Prefeitura de Itabaiana, daria para arcar, por exemplo, com a locação de uma residência em bairros nobres de João Pessoa, onde é cobrado o metro quadrado mais caro do Estado.

Confira os empenhos, com os pagamentos dos aluguéis:

Empenhos 2013

Empenhos 2014

Empenhos 2016

Empenhos 2015

MaisPB

Argentina pode sair da Copa América e Boca ser excluído da Libertadores

A noite da última segunda-feira ficou marcada por uma atitude que pode impactar diretamente na Copa América Centenário e na Libertadores. Isso porque, o governo da Argentina interveio na Associação de Futebol Argentino (AFA) e, como punição, pode ver a seleção local e o Boca Juniors serem excluídos de suas respectivas competições continentais.

O comitê executivo da AFA vai se reunir nesta terça para definir as atitudes que serão tomadas após a intervenção do presidente Mauricio Macri.

- O comitê decidirá se as atividades do futebol serão suspensas e se a seleção retorna dos Estados Unidos - afirmou Damián Dupelliet, secretário-geral da AFA, à rádio "La Red".

De acordo com o diário "Olé", Macri fez uma consulta a Gianni Infantino, presidente da Fifa, entidade que não aceita este tipo de intervenção, mas ainda não obteve êxito na sua intenção de impedir a chegada do líder sindical e mandatário do Independiente Huho Moyano à presidência da AFA.

Multa pesada

Caso a seleção de Messi e companhia seja excluída, terá que ser pago uma multa de 5 milhões de dólares (cerca de R$ 18 milhões). Outra punições seriam a exclusão da Argentina das duas próximas edições da Copa América e mais um valor extra pelos danos causados à competição.

Msn

Condutor de motos de 50 cilindradas sem habilitação passará a ser multado

A partir de quarta-feira (1º), o condutor das motos "cinquentinha" também vai precisar de carteira e o pior é que pouca gente até agora foi atrás para tirar esse documento.

O ciclomotor do vidraceiro João Antônio Teles está novinho, não tem nem um ano e ele comprou porque não precisava de carteira para pilotar.

"Eu não tenho habilitação e ela ia me locomover ao meu trabalho, de ida e de volta, sem nenhuma complicação com as autoridades", afirma João.

Mas agora quem roda por aí nessas motos também conhecidas como "cinquentinhas", por causa das 50 cilindradas, vai ter que portar uma ACC, Autorização para Conduzir Ciclomotor. É uma habilitação específica para esses veículos.

A exigência da habilitação deveria ter entrado em vigor em fevereiro, mas o Conselho Nacional de Trânsito voltou atrás e prorrogou o prazo. Agora é para valer. A partir desta quarta-feira (1º), quem for flagrado pilotando um ciclomotor sem a documentação exigida vai ter dor de cabeça. A multa prevista é de R$ 574, além da apreensão do veículo. A infração é gravíssima.

"Hoje, 70% das vítimas de trânsito são provenientes de ciclomotores e motocicletas. Então é importante que eles estejam habilitados para não poder superlotar nossos hospitais e proteger as vidas", afirma o diretor do Detran-BA, Lúcio Gomes.

Mas em uma autoescola, uma das maiores de Salvador, ninguém até agora tirou uma autorização para conduzir ciclomotor. O custo é de quase R$ 1.500, incluindo aulas, provas e taxas, o mesmo que se paga por uma habilitação categoria A, que dá direito a pilotar qualquer moto. O diretor acha que não compensa. "Mesmo custo, mesmo trabalho, mesmas provas, então não é viável", declara.

Em Pernambuco, onde quase 30 mil "cinquentinhas" foram emplacadas de um ano para cá, a procura pela autorização também está baixa.

"Nós vamos simplesmente cumprir a legislação. O condutor de uma "cinquentinha" tem que estar habilitado, no mínimo com a ACC e/ou também com a categoria A", avisa o presidente do Detran-PE, Charles Ribeiro.

O porteiro Agnaldo Alves preferiu não esperar para ver. Ele quer trocar a velha "cinquentinha" por uma moto maior daqui a um tempo e tirou logo uma habilitação categoria A. Pagou caro, mas não se arrepende.

"Estou mais tranquilo, mais seguro. Não vou andar escondendo de ninguém, de um órgão de trânsito. Vou andar tranquilamente, graças a Deus", afirma Agnaldo.

Polícia prende em Soledade homem envolvido em explosões a caixas eletrônicos

A Polícia Civil da Paraíba, por meio de um trabalho realizado pela Delegacia de Soledade, integrante da 12ª Seccional, que tem sede na cidade de Esperança, cumpriu durante o fim de semana um mandado de prisão preventiva em desfavor de Fábio Alves de Oliveira.

De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Lamartine Lacerda, o suspeito é envolvido em uma ação de plantio de pés de maconha, além de possuir um fuzil calibre 7.62 e estava com uma motocicleta com registro de roubo. "Ele, conhecido pelo codinome de Fabinho, é suspeito de ser integrante de uma associação criminosa que estaria envolvida na explosão de um caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal da Prefeitura de Soledade, oportunidade em que o fuzil e a moto foram utilizados no crime", explicou a autoridade policial.

Ainda segundo o delegado, o suspeito foi encaminhado para a Central de Polícia de Campina Grande, onde aguardará a apresentação ao Juiz da Comarca de Soledade e só em seguida será levado para uma unidade prisional do Estado.

De Olho no Cariri
Com Secom

Serra-branquense que colidiu com animal solto na pista não resistiu e faleceu nesta manhã

Acidente provocado por animal solto na pista deixou mais uma vítima fatal no Cariri Paraibano.  O serra-branquense Valdemir Bonifácio Macedo, conhecido como papinho, não resistiu e faleceu na manhã desta terça-feira (31), no Hospital de Trauma de Campina Grande.

Valdemir foi encontrado desacordado na manhã deste domingo (29) na estrada que liga Serra Branca ao sítio Ligeiro, zona rural do município, após colidir com um jumento.

O mesmo só foi encontrado e socorrido por volta das 5:30, sendo levado para o hospital de Serra Branca, em seguida, transferido em estado grave para Campina Grande.

De Olho no Cariri

Zika vírus pode provocar distúrbio grave nos olhos e levar bebês à cegueira

Um estudo feito com 40 crianças nascidas em Pernambuco, cujas mães foram infectadas pelo zika, comprovou que há relação entre a infecção pelo vírus e distúrbios graves nos olhos do bebê. A pesquisa, coordenada pelos médicos Rubens Belfort Júnior e Maurício Maia, com a participação de cientistas da Fundação Altino Ventura, do Recife, mostrou que das 40 crianças analisadas e que tinham microcefalia, quase metade (46% do total) apresentou distúrbio ou lesão no fundo do olho. Desse total, 68% apresentavam distúrbio nos dois olhos.

O oftalmologista Maurício Maia, professor do Departamento de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), explica que quanto maior o quadro de microcefalia, maior a probabilidade de a criança desenvolver um problema no fundo do olho.

"Quanto mais precoce é a infecção [pelo vírus Zika] da mãe, no primeiro trimestre principalmente, e quanto mais microcefálico é o bebê, ou seja, menor é a cabeça, maiores são as chances dessas crianças de ter o fundo do olho também com a doença", diz Maia. "É preocupante quando a mãe adquire a infecção em qualquer nível da gestação, mas é muito mais preocupante quando ela ocorre no primeiro trimestre", ressalta.

Políticas públicas

O estudo, segundo Maia, mostra a necessidade de que os bebês de mães que contraíram o vírus Zika durante a gravidez sejam acompanhados por um oftalmologista precocemente.

"Se a mãe, durante a gravidez, tem sinais ou sintomas de vermelhidão na pele, dores articulares ou febre que dura cinco dias, ela pode ter sido infectada pelo Zika, principalmente se ela estiver em áreas endêmicas. As crianças que são nascidas de mães que tiveram sintomas compatíveis com o vírus precisam passar por uma avaliação oftalmológica porque essas lesões no fundo do olho, se forem estimuladas precocemente, podem desenvolver áreas na visão que, se estimuladas, elas [crianças] poderão enxergar alguma coisa", alerta Maia.

Caso não sejam estimuladas, essas crianças poderão ter a visão muito mais comprometida, podendo até ficar cegas no futuro. "Se não forem estimuladas precocemente, nos primeiros meses de nascimento, elas vão desenvolver uma visão pior que pode levar à cegueira, em alguns casos".

O recado do médico às mães que tiveram Zika é para que procurem o quanto antes um oftalmologista para o diagnóstico da doença e o início imediato do tratamento, caso as lesões sejam confirmadas. "As crianças precisam ser estimuladas precocemente para ter uma vida a mais normal possível", reforça.

A próxima etapa da pesquisa pretende investigar também a possibilidade de que crianças com mães que tiveram Zika na gravidez desenvolvam problemas oculares, independentemente da microcefalia. "Achamos que isso é possível em alguns pacientes que estamos observando", avalia o oftalmologista.

Com Agência Brasil

Universidades da PB poderão ter acesso a R$ 400 mil em investimentos; entenda


Sebrae quer apoiar educação empreendendora

As Instituições de Ensino Superior (IES) da Paraíba interessadas em incluir o ensino do empreendedorismo na grade curricular têm até o dia 27 de junho para enviar propostas para participar de chamada pública lançada pelo Sebrae. O edital tem o objetivo de selecionar e apoiar, técnica e financeiramente, dois projetos que promovam a educação empreendedora para os estudantes do ensino superior.

De acordo com a analista técnica e gestora do Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae Paraíba, Socorro Vasconcelos, a proposta da chamada pública é estimular as instituições de educação superior a adotarem, de modo permanente, o ensino do empreendedorismo em suas práticas pedagógicas. "O papel da universidade na formação de empreendedores ganha cada vez mais relevância no contexto do ensino formal, por isso é necessário preparar o professor e o estudante para participar de um novo mundo do trabalho no qual a capacidade de iniciativa, flexibilidade e adaptação às mudanças são fundamentais para o êxito profissional", destacou Socorro Vasconcelos.

Confira o edital.

Para se inscrever, a instituição de ensino deve elaborar uma proposta contendo as linhas de ação nas quais deseja trabalhar em parceria com o Sebrae. No edital, há um grupo de atividades que o Sebrae considera apropriado para o público universitário, mas as instituições podem colocar no projeto aquelas que considerarem necessárias. Caso a universidade já tenha algum produto de ensino de empreendedorismo ou queira desenvolver em conjunto com o Sebrae, também poderá colocar em sua proposta.

O Sebrae destinará até R$ 200 mil para cada projeto aprovado e o prazo de execução de cada convênio poderá ser de até 24 meses, contados a partir da assinatura entre o Sebrae e a IES. No entanto, a instituição de ensino deve oferecer uma contrapartida de 30% do investimento total do projeto. Somente poderão ser analisadas as propostas apresentadas por IES - faculdades, centros universitários ou universidades, públicas ou privadas - credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC). O resultado da chamada pública será divulgado no dia 13 de julho.

Portal Correio

Uma mulher é estuprada a cada 40 horas na PB; secretário avalia estatística


Cláudio Lima

Uma mulher é estuprada a cada 40 horas na Paraíba. O dado já é alarmante, mas o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Cláudio Lima, afirma que ele é ainda maior, pois, boa parte das vítimas não denuncia. Medo, vergonha e a culpabilização da mulher impedem que elas entrem para as estatísticas. A conseqüência é que menos agressores são punidos.

O estupro coletivo contra uma adolescente de 16 anos ocorrido no Rio de Janeiro no último dia 21, causou indignação em todo o país e trouxe à tona essas e outras discussões. O delegado do caso foi afastado, depois que insinuou culpa da vítima. Nas 12 delegacias da Mulher da Paraíba, o atendimento é feito por mulheres, para se evitar situações de constrangimento, mas o problema permanece nos municípios onde não há delegacias especializadas. O silêncio impede que os criminosos sejam punidos.

"Os dados de estupro não são confiáveis, porque a mulher não procura. Foram 10 casos na delegacia norte e cinco na sul. Em 95% dos casos conseguimos prender, como no último que envolveu um PM e mais de cinco mulheres. Só que a gente toma conhecimento de casos que não chegam à polícia. A política de prevenção contra crimes sexuais ainda é nova. Muitas não denunciam porque não confiam no aparato estatal ou querem preservar a intimidade", declarou o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Cláudio Lima.

Para Cláudio, é importante que o atendimento inicial seja prestado por outras mulheres. "Não é só o fato de ser mulher, é de ser capacitada. Há um treinamento específico. Aqui na Paraíba, não temos casos de constrangimento por parte dos delegados. Mesmo formados em Direito, muitos homens não estão preparados para atender", ressaltou.

Portal Correio

Bandidos apavoram o povo de Soledade

A população de Soledade está encurralada pelos bandidos que praticam assaltos todos os dias tanto na cidade quanto na zona rural.

Policiais praticamente não são vistos fazendo rondas pela cidade e isso tem deixado os bandidos a vontade para cometerem delitos sem serem importunados.

Nesta segunda-feira (30) a noite, por exemplo, meliantes aterrorizaram mais uma vez e assaltaram no bairro Jardim Cruzeiro, uma mulher identificada como Celinha e seus filhos, roubando seus aparelhos de celulares.

O presidente do PT Municipal, Klebiano Brito, disse que nesta segunda, em frente a sua casa, os marginais ameaçaram dar um tiro no seu filho e ainda roubaram um celular do amigo dele.

Segundo informações um carro de cor cinza e duas portas, cuja marca não foi identificada, estava rodeando o colégio Estadual Dr Trajano Nóbrega, no Jardim Cruzeiro, onde está acontecendo a VI edição do Educa Fest, com 3 meliantes armados e cometendo assaltos.

Heleno Lima

Filho de Lula recebeu cerca de R$ 10 milhões, diz jornal

Dados do sigilo bancário de Luís Cláudio Lula da Silva, filho caçula do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, obtidos pela Operação Zelotes, indicam que ele e sua empresa, a LFT Marketing Esportivo, receberam quase R$ 10 milhões, revela nesta terça-feira o jornal "Estado de S. Paulo". Até então, se sabia que Luís Cláudio tinha embolsado R$ 2,5 milhões da Marcondes & Mautoni, acusada de comprar medidas provisórias. Na realidade, foram cerca de R$ 4 milhões. O restante é proveniente de "outras fontes suspeitas". Os investigadores querem saber qual trabalho foi prestado para resultar no recebimento dos demais valores.

A quebra dos sigilos de Luís Cláudio e da empresa dele abrange o período de 2009 a 2015. Uma das linhas da investigação é saber se Lula indicou empresas para contratar a firma do filho.

Segundo o jornal, a empresa de Luís Cláudio não tem funcionários registrados, apesar dos valores milionários que recebeu, nem ele expertise em consultoria. O trabalho para a Marcondes & Mautoni foi copiado da internet.

O Globo

MP encontra irregularidades em R$ 2,5 bilhões pagos pelo Bolsa Família

Apuração do Ministério Público Federal identificou suspeitas de irregularidades no pagamento de R$ 2,5 bilhões do Bolsa Família entre 2013 e 2014. A quantia refere-se ao benefício pago a aproximadamente 1,4 milhão de beneficiários, incluindo os titulares do programa e as famílias. A procuradora da República Renata Ribeiro Baptista, coordenadora do grupo de trabalho responsável por inspecionar o Bolsa Família, deu prazo de 30 dias para o secretário de Renda e Cidadania, Tiago Falcão, informar quais providências serão adotadas para normalizar a situação.

As falhas foram identificadas pelas Câmaras Criminal e de Combate à Corrupção e a comunicação à Secretaria de Renda e Cidadania, que é vinculada ao Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, foi encaminhada no último dia 23. As irregularidades foram apontadas a partir do cruzamento de dados da secretaria com informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da Receita Federal e de Tribunais de Contas.

O Ministério Público classificou as suspeitas de irregularidades em dois grupos. No primeiro estão saques realizados por pessoas já falecidas, ou sem CPF, ou pessoas com mais de um CPF vinculado ao número de instrução cadastrado no Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. No segundo grupo estão beneficiários que são servidores públicos, doadores de campanha, além de donos ou responsáveis por empresas ativas.

Junto com o ofício enviado à Secretaria de Renda e Cidadania, foi encaminhada a lista dos beneficiários sob suspeita. O Ministério Público pediu que a Secretaria apresente um cronograma pormenorizado com as providências a serem adotadas.

O Globo

Capa da Sexy, Mulher Melão diz que quando gosta é insaciável na cama

Mulher Melão é a capa da revista Sexy do mês de junho. O ensaio foi feito na favela de Heliópolis, em São Paulo, e Renata Frisson contou que adorou o contato com o público, que acompanhou tudo de perto.

— Paramos Heliópolis! E foi legal porque também teve o carinho da comunidade, tanto das mulheres quantos dos homens… todo mundo parou pra ver e pediram pra tirar fotos. Sou bem resolvida com meu corpo. Acho que a gente tem que ser assim, livre. Não tem que ter pudores. Temos que mostrar a sensualidade, ser sexy.

A modelo está feliz com o ensaio e gostou do resultado.

— Acho que é um momento legal justamente porque o movimento tá muito forte. O funkeiro tá muito em evidência e a revista é maravilhosa. Sempre tive vontade de fazer um ensaio pra vocês e sei que vai ser um dos mais ousados da história da revista. Ir pra comunidade e ser abraçada pelo público é maravilhoso.

Em entrevista para para a revista, Renata contou a origem do apelido que a tornou famosa no Brasil.

— Surgiu justamente por estar de topless num carro alegórico, na Vila Isabel, em 2008. E um radialista do Rio de Janeiro chamado Tino Júnior deu o meu nome. Peguei uma fama sem querer. Caiu de paraquedas na minha vida. Fiquei feliz, porque sou um personagem do funk e eu quis realmente fazer um ensaio na comunidade pra mostrar as minhas raízes. Foi uma homenagem pro povo. Melão é por causa dos… Por causa dos seios, mas tem muita gente que fica na dúvida. Se são os seios ou o bumbum, que também é grande.

renata1.jpg

A modelo contou que tem próteses de silicone nos seios, mas garante que o resultado é natural.

— Sim, mas são tão naturais que passa batido. É natural até na hora de pegar. Aderiu já, né (risos). Eu acho que os seios têm que ser macios, gostosos, generosos, apetitosos.

A modelo revelou que está solteira e disse que está sem tempo para buscar um novo amor.

— Não namoro. Tenho muitos fãs pra eu me dedicar a um só. Não estou preocupada com relacionamento, estou preocupada em curtir a vida com muita intensidade. O homem, pra me prender, tem que ser muito competente. Na área sexual mesmo… Também. Tem que ter química, tem que ser muito inteligente e muito gostoso.

Renata, que gosta de seduzir com o olhar, disse que não tem um tipo físico ideal de homem.

renata2.jpg

— Não tenho estereótipo. Tem a química e a atração, pra mim, é como um imã, eu olho, quero e consigo. O homem que sabe conduzir na cama, que faz o que uma mulher gosta e que sabe priorizar. Um homem que sabe fazer uma mulher gozar.

A modelo não tem pudores e contou que não tem limites quando o assunto é sexo.

— Quando curto um homem, sou insaciável. Não paro. Eu gosto muito e me entrego mesmo.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

INSEGURANÇA SEM LIMITES: Dupla assalta casa lotérica em Sumé em horário comercial

A onda de assaltos em Sumé e na região do Cariri continua sem limites. Depois da explosão ao Banco do Brasil na última sexta-feira (27/05), nesta segunda-feira (30) o alvo foi o Caixa Aqui da A&D Empreendimentos, localizado no bairro de Várzea Redonda, em frente à Igreja de São José.

De acordo com informações, 4 elementos chegaram em um celta preto e anunciaram o assalto, fugindo possivelmente pela estrada que dá acesso a São José dos Cordeiros. A polícia faz algumas perseguições na região em busca dos meliantes.

O clima de insegurança tomou conta das cidades caririzeiras. Em Serra Branca, no último sábado (28), comerciantes fecharam as portas à tarde com medo de possíveis arrastões. Em Sumé, empresários e a população preparam uma série de movimentações para cobrar das autoridades alguma solução.

De Olho no Cariri
Com Jacqueline Oliveira

Menor é detido na PB suspeito de perfurar a própria mãe com espeto durante discussão


Menor estava sob efeito de drogas ao agredir mãe

Um adolescente de 17 anos foi apreendido na tarde desta segunda-feira (30), na cidade de Alagoa Grande, no Brejo da Paraíba, a 103 km de João Pessoa, suspeito de perfurar a própria mãe com um espeto de madeira durante uma discussão ocorrida horas antes. A vítima teve ferimentos por todo o corpo, inclusive na cabeça.

A apreensão ocorreu em operação da Polícia Civil da cidade, sob a coordenação do delegado Danillo Orengo. Após informações transmitidas ao disque-denúncia (197) de uma possível vítima de arma branca, os policiais partiram em buscas e encontraram a vítima no Hospital Municipal de Alagoa Grande, onde era socorrida.

"Diante das informações no Hospital, constatamos que o agressor se tratava do filho da vítima. Devido às lesões e às ameaças constantes em desfavor da genitora, a equipe de policiais conseguiu apreender em flagrante o adolescente na sua residência", disse o delegado, acrescentando que o crime ocorreu em via pública e foi testemunhado por um irmão da vítima, que prestou depoimento à polícia.

Conforme explicou Orengo, o menor é usuário de drogas e estava sob efeito destas quando agrediu a mãe, que tentava aconselhá-lo para largar o vício. Após receber atendimento médico, a vítima passa bem.

O adolescente foi autuado, será apresentado ao Ministério Público local pelo atos cometidos e se encontra à disposição da Justiça.

Portal Correio

Vítima de assalto desenha retrato falado de suspeitos e publica no Facebook, em JP


Relato foi postado no Facebook; assalto ocorreu na Epitácio

Uma estudante universitária de 20 anos usou as redes sociais para denunciar que foi assaltada e agredida por três homens nesse domingo (29), na Avenida Epitácio Pessoa, uma das principais de João Pessoa. A mulher fez um desenho com as características dos suspeitos e postou no Facebook na tentativa de localiza-los e denunciá-los às autoridades policiais.

Conforme relato, a jovem postou a mensagem informando que foi agredida a socos e coronhadas no meio da rua. "Foi em frente a uma farmácia. Três foram me assaltar e eu corri pra pista, não gostaram disso e me agrediram, levaram minha bolsa com todos meus documentos, uma paleta de maquiagem, óculos de grau. E ainda pegaram meu celular que estava dentro da minha calça".

A vítima disse que foi socorrida por funcionários de uma drogaria. "Além do pessoal da farmácia, uma viatura da PM deu apoio e procurou os suspeitos comigo pelas favelas e pelas áreas ao redor, me deram todo apoio, me deixaram em casa e tal", disse.

Segundo a jovem, os suspeitos pareciam ser menores de idade. "Um com uma camisa preta, outro com uma roxa e o que tava armado com uma camisa laranja. Quem souber algo dos meus pertences, eu agradeço", falou.

Na postagem ela acredita que "teriam feito algo pior se eu não tivesse ido para o meio da pista. Fiz um retrato de dois dos três suspeitos para que mais gente reconheça e se ver na rua chame a policia para que investiguem e prenda-os", desabafou.

Ouvida pelo Portal Correio, a delegada Roberta Neiva, chefe da 2ª Delegacia Seccional de Polícia Civil de João Pessoa, disse que os desenhos com retratos publicados pela vítima não têm nenhum respaldo legal e que ela deve procurar a Polícia Civil para que seja feito um retrato falado oficial dos suspeitos. "Legalmente, a imagem não tem amparo. A jovem deve procurar a Polícia Civil que fará um retrato falado dos suspeitos", falou.
Vítima desenhou retrato de suspeitos e publicou no Facebook, junto com esse depoimento

Foto: Vítima desenhou retrato e publicou no Facebook, junto com esse depoimento
Créditos: Reprodução/Facebook

Portal Correio

Polícia prende mãe e filha por fraude de mais de R$ 200 mil contra idosa em João Pessoa

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa – DDF, prendeu nesta segunda-feira (30) duas mulheres suspeitas de praticarem fraude contra uma idosa cujos valores somam mais de R$ 200 mil. Foram presas em flagrante a cuidadora da idosa, Doralice Pereira de Lira, 69 anos, e a filha dela, Jamile Pereira de Lira, 25 anos. As prisões aconteceram no bairro Jardim Cidade Universitária, em João Pessoa. 

Segundo o delegado Lucas Sá, da DDF, a vítima é uma professora aposentada de 81 anos, que morava sozinha no bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa. A suspeita Doralice Pereira de Lira era conhecida da família, o que fez com que ganhasse a confiança da vítima e fosse contratada a trabalhar como cuidadora da idosa. "As suspeitas utilizaram o cartão de crédito da idosa para diversas compras pessoais, além de contratarem valores altos junto à instituição bancária, antecipando a aposentadoria da idosa e contratando empréstimos de alto valor, sendo um deles no valor superior a R$ 100 mil, mas a fraude já acumula um valor superior a R$ 200 mil", esclareceu o delegado.  

A família só descobriu a fraude quando foi informada que a idosa havia sido internada em um hospital, ocasião na qual passou a ter um contato mais próximo com ela, tomando conhecimento de toda a conduta praticada. "Ela estava com a saúde bastante fragilizada, era solteira e sem filhos. Como residia sozinha, foi convencida a contratar uma cuidadora, que depois a convenceu também a abrir uma conta corrente na Caixa Econômica Federal e a emitir uma procuração, para que as suspeitas conseguissem movimentar a conta livremente", relatou.

Ainda segundo o delegado Lucas Sá, após a denúncia, a DDF passou a investigar as suspeitas, descobrindo seus possíveis endereços, confirmando junto à instituição financeira a atividade das contas e as movimentações bancárias em atividade, conseguindo localizá-las e prendê-las em flagrante em um apartamento situado no bairro Jardim Cidade Universitária, em João Pessoa. As suspeitas ficarão na carceragem da Central de Polícia, aguardando o encaminhamento à audiência de custódia, que decidirá se elas irão ao presídio ou se responderão pelas fraudes em liberdade.

O delegado Lucas Sá disse ainda que a população pode ajudar a Polícia a combater o crime informando sobre atitudes suspeitas. Quaisquer denúncias poderão ser encaminhadas à DDF por meio do disque denúncia da Polícia Civil pelo número 197. A ligação é gratuita e é garantido o sigilo absoluto.

Paraiba.com.br

João Pessoa tem alerta de inundações; chuvas alagam ruas e dificultam trânsito


Acidente ocorrido na BR-230, em Bayeux

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) emitiu um alerta, na manhã desta segunda-feira (30), sobre as chuvas que estão ocorrendo desde a noite desse domingo (29) em João Pessoa. Segundo o coordenador da Defesa Civil da Capital, Noé Estrela, o alerta foi de chuvas moderadas podendo ocorrer inundações. De acordo com a meteorologista da Aesa, Marle Bandeira, do começo da manhã até perto das 11h, já chegou a chover 69,2 milímetros, em João Pessoa, um índice considerado alto para o intervalo de tempo. Várias ruas da Capital ficaram alagadas e o trânsito foi desviado. A previsão é mais chuvas até esta terça-feira (31).

"Após o comunicado do Cenad, nossas equipes iniciaram vistorias nas áreas de risco e nos pontos críticos. Vamos ficar em alerta total e estamos monitorando as chuvas para agir rápido caso seja necessário. O alerta do Cenad foi de possíveis inundações nas próximas horas", comentou Noé Estrela.

Segundo a assessoria de imprensa da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) de João Pessoa, o trânsito ficou obstruído em alguns pontos da Avenida Epitácio Pessoa (em frente ao colégio Lourdinas); foi desviado na avenida principal do bairro dos Bancários pela Rua Rosa Lima dos Santos; no sentido bairro-Centro; no sentido Centro-bairro, o desvio foi pela Rua Flamboyant.

O trânsito foi interrompido por conta do excedente de água na Rua Brasilino Alves da Nóbrega, na ladeira que liga os bairros de Mangabeira a Valentina.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), apenas um acidente foi registrado até as 11h desta segunda. A batida entre um carro e uma moto aconteceu no trecho da BR-230, próximo ao posto da PRF de Manguinhos, em Bayeux, na Grande João Pessoa. O motociclista ficou ferido e foi socorrido pelo Samu.

PRF orienta motoristas

Durante a chuva, ou com o asfalto molhado, o motorista deve aumentar a distância em relação ao veículo que trafega a sua frente. Assim, é possível evitar freadas bruscas, que nessas condições elevam o risco de derrapagens e aquaplanagens;
v As borrachas das palhetas do limpador de para-brisa precisam estar em bom estado de conservação para que a chuva afete o menos possível a dirigibilidade do veículo. Elas devem ser trocadas uma vez por ano;

- Os faróis devem estar sempre acesos;

- Redobre o cuidado nas curvas e frenagens;

- Se possível, evite passar em poças ou locais com acúmulo de água;

- O 'pisca-alerta' somente deve ser acionado em caso de parada não prevista ou pane no veículo. Trafegar com o pisca-alerta ligado provoca a sensação de que o veículo à frente está parado, fazendo com que o condutor do veículo atrás freie, com risco de provocar acidente;

- Em caso de chuva forte, o motorista deve procurar um lugar seguro e, assim que possível, parar o carro. Nunca pare sobre a pista e só pare no acostamento se não houver alternativa; o ideal é parar completamente fora da via.

- Na pista molhada, o condutor corre o risco de passar por uma situação de aquaplanagem, que acontece por alguns fatores: Excesso de água na pista; Calibragem inadequada dos pneus; Velocidade incompatível com a via; Pneus desgastados (lisos).

Ao perceber que seu veículo perdeu a aderência com a via, siga as seguintes orientações:

- Tire o pé do acelerador até retomar o controle completo da direção;

- Não freie, pois se as rodas estiverem travadas no momento em que voltar o contato dos pneus com a pista, o veículo poderá desgovernar-se;

- Segure o volante com firmeza, mantendo-o alinhado.

A PRF orienta, entretanto, que a pista seca não deve ser justificativa para excessos de velocidade.

Portal Correio  

Condutor da tocha olímpica no Piauí estaria vendendo peça por R$ 50 mil

O anúncio da venda de uma tocha olímpica em um grupo de 'compras' no Facebook chamou a atenção de muitosinternautas no Piauí. "Sou um condutor da tocha olímpica quando a mesma passará por Parnaíba, vendo a tocha e o uniforme que usarei", diz a postagem.

Não se sabe a autenticidade da publicação, que oferece R$ 50 mil pelas peças, com 'preço negociável', a postagem foi excluída após uma enxurrada de críticas feitas pelosusuários. A tocha passará pelo Piauí nos dias 9 e 10 de junho.

O caso piauiense não é o único, um rapazde Minas oferece sua tocha por R$ 120 mil.

Tanto o Comitê Organizador Rio 2016, quanto os patrocinadores do evento, afirmaram que não há nenhum impedimento na venda da tocha, explicando que o condutor tem a liberdade para fazer o que quiser depois que adquiriu o objeto.




180graus



Sociedade machista e violenta 'estupra as mulheres', diz representante da ONU

Não existe o "grande monstro estuprador". Na maioria dos casos de violência sexual, os perpetradores são considerados "homens normais", que não acham que cometeram um ato violento. Mas o que exatamente eles pensam?

É o que investiga a brasileira Arielle Sagrillo Scarpati, de 28 anos, que faz doutorado em psicologia forense na Universidade de Kent, na Inglaterra.

"Quando você olha a literatura sobre o tema, observa que a maioria dos casos de estupro são cometidos por agressores que não têm nenhuma patologia. A gente tem essa noção de que o estuprador é um monstro, um psicopata. Mas na verdade esses homens são o que chamamos de normais, em geral tidos como pessoas boas, salvo raras exceções. Isso sempre me chamou muito a atenção", disse à BBC Brasil.

Scarpati tenta entender o que faz com que pessoas que cometem violência sexual não reconheçam seus atos como violentos. E aponta valores culturais e os "mitos do estupro", tanto no Brasil quando na Inglaterra, como os principais responsáveis.

"A maioria das pessoas acha que estupro envolve o monstro, o beco escuro, a mulher jogada no chão ensanguentada. Por isso, em muitos dos casos, a própria vítima não reconhece o que sofreu como violência."

Segundo a pesquisadora, uma cultura machista também dificulta o acolhimento das vítimas pela polícia britânica, que enfrenta críticas de culpabilização da vítima semelhantes à brasileira.

Confira os principais trechos da entrevista:

BBC Brasil: Quais são as principais diferenças e semelhanças que você encontrou entre Brasil e Inglaterra quando se trata de violência sexual?

Scarpati: Enquanto no Brasil há uma cultura machista mais geral, que abarca qualquer faixa etária, aqui na Inglaterra o fenômeno parece mais forte nas universidades, que é o que eles chamam de "lad culture".

Para fazer parte de um grupo na universidade e ser considerado um bom membro, é preciso fazer certas coisas. Isso inclui muita bebida e, frequentemente, abusar de mulheres em festas. Há uma quantidade de violência sexual altíssima e muitos desses casos não são reportados. Isso dá a impressão de que a violência sexual ocorre menos.

Tanto na Inglaterra quanto no Brasil a polícia ainda não está preparada para acolher bem essas vítimas. Aqui os casos andam mais rápido, os serviços funcionam melhor, mas o acolhimento inicial ainda é ruim.

Trabalhei como voluntária em um centro de acolhimento de vítimas aqui em Canterbury e muitas me diziam que preferiam não denunciar para não terem que ouvir perguntas como "que roupa você estava usando?", "será que você não provocou?" e "você vai denunciar mesmo, não quer voltar para casa e pensar melhor?'".

Por outro lado, o debate a respeito do assunto acontece há mais tempo por aqui e existe um sistema um pouco mais bem estruturado para dar assistência à vítima e tratamento ao agressor. Eu vejo muito, por exemplo, uma preocupação com o tratamento dos agressores - o que, infelizmente, a gente ainda negligencia no Brasil.

Além disso, aqui há diferenças culturais como menor desigualdade de gênero, índices menores de violência e maior participação feminina no mercado, que se refletem na maneira como a violência é perpetrada aqui. Por exemplo: você nao vê - ou vê raramente - mulheres sendo "puxadas pelo braço ou pelo cabelo" em uma festa, ou cantadas nas ruas.

BBC Brasil: A comoção causada pelo caso da adolescente estuprada por diversos homens no Rio pode significar que a sociedade brasileira esteja menos tolerante à violência sexual?

Scarpati: A gente está começando a olhar para o fenômeno da violência sexual agora. Ainda não enxergamos muito do que acontece.

Quando você tem casos envolvendo menores, tem a atenção das pessoas. Quando há casos envolvendo muita brutalidade, eles também chamam a atenção do público de modo geral, despertam indignação.

Mas para além desses casos, que envolvem grupos muito particulares, temos uma série de casos de violência que acontecem cotidianamente. E nós negligenciamos tanto a vítima quanto os diferentes tipos de agressores.

Esse caso agora é definitivamente fora da curva. A violência contra a mulher no Brasil tem uma roupagem muito diferente. São principalmente mulheres que são vítimas de violência e sequer são capazes de nomear como violência aquilo que elas vivenciaram.

BBC Brasil: A lei brasileira considera que quaisquer "atos libidinosos" não consentidos são crime de estupro. Por que existe essa dificuldade de reconhecer a violência sexual em suas diversas formas?

Scarpati: Porque a gente tem uma ideia na cabeça sobre o que é violência sexual, quem é o agressor e quem é a vítima.

São estereótipos que chamamos de "mitos de estupro": o agressor é um monstro, a vítima é aquela que estava andando sozinha pelo beco escuro à noite, é atacada e deixada no chão ensanguentada ou é aquela que estava se vestindo de maneira tida como vulgar, que estava bêbada ou que "provocou".

Qualquer coisa que fuja desse padrão a gente tem muita dificuldade de reconhecer. Por isso, em muitos dos casos, a própria vítima não reconhece o que sofreu como violência e o agressor também não reconhece.

É comum que as pessoas não entendam como violência sexual uma situação de estupro dentro do casamento, por exemplo. Mas o que caracteriza o estupro é ausência de consentimento. Se a mulher está com o marido e diz não, mas ele força e o sexo acontece, isso é estupro.

É comum que as pessoas não entendam como violência sexual uma situação de estupro dentro do casamento, por exemplo

Não interessa se os dois foram para o motel, se estavam pelados. Se a mulher diz: 'não, para'. E o homem continua, isso é estupro. Mas muitos não acreditam.

E isso não é algo apenas dos homens. Homens e mulheres acreditam nesses mitos e os endossam.

BBC Brasil: O caso da adolescente no Rio gerou discussões, especialmente nas redes sociais, sobre o papel dos homens no combate ao que se chama de cultura do estupro. Qual você acha que deve ser este papel?

Scarpati: Se um homem não enxerga como violência e se posiciona diante de uma piada sexista, de um comportamento machista, de um colega que diminui uma mulher, está indiretamente contribuindo para esta cultura de violência.

Há pesquisas aqui no departamento na Universidade de Kent que mostram uma relação entre aceitar piadas sexistas e concordar com "mitos do estupro" (um termo que aparece com constância em discussões sobre violência sexual na Grã-Bretanha para designar crenças comuns porém equivocadas sobre o assunto; entre mitos mais comuns apontados por ONGs de defesa de mulheres estão, por exemplo, 'o estuprador não entendeu que a vítima não estava consentindo', 'ou 'a maioria dos estupros é cometida por estranhos').

E também há pesquisas mostrando que pessoas que concordam com mitos de estupro têm mais chances de vir a cometer algum tipo de violência. Não é uma relação direta de causa, mas é uma correlação. São coisas que caminham juntas.

Por isso defendo que não é uma questão de patologia. Por causa de um ambiente muito propício - um caldo de normas e de valores, de discursos e práticas - as pessoas passam a naturalizar e legitimar determinados tipos de comportamento em relação à mulher.

Quando há algo que você considera muito errado e você faz, você entra num debate consigo mesmo. Cognitivamente, você precisará entrar num acordo com sua consciência. Mas se a sua ação não é tida como equivocada, você não precisa lidar com a consciência. Faz e segue em frente.

BBC Brasil: Se na maioria das vezes não é um caso de patologia, como você diz, o que passa pela cabeça de homens que cometem atos de violência sexual?

Scarpati: Sabemos que, de maneira geral, a maioria dos agressores carregam uma hostilidade contra mulheres e de alguma maneira apoiam "mitos de estupro".

Segundo as teorias mais aceitas atualmente: agressores geralmente trazem dentro de si o sexismo ambivalente, os "mitos de estupro" e o que chamamos de "crença num mundo justo".

A "crença num mundo justo" é a ideia de que coisas ruins acontecem com pessoas ruins e coisas boas acontecem com pessoas boas. Então, cada um só tem o que merece. Isso é algo que ajuda a deixar esses homens tranquilos com aquilo que fizeram.

Outra coisa é o que chamamos de "sexismo ambivalente". Ele tem uma face mais agressiva - a ideia de que mulher não presta, de que, se provoca o homem, merece apanhar mesmo e de que vale menos que o homem - e uma face benevolente - a ideia de que a mulher é a rainha do lar, de que é frágil e de que o papel do homem é cuidar dela.
Arielle Scarpati:
Arielle Scarpati: "Esse caso agora é definitivamente fora da curva. A violência contra a mulher no Brasil tem uma roupagem diferente."
Foto: Arquivo pessoal / BBCBrasil.com

Essa face benevolente tem uma cara muito bonita, mas o problema com isso é que o homem, ao pensar assim, continua diminuindo a mulher. Ao dizer que ela é frágil, sensível e delicada, ele também está dizendo que ela não é capaz de fazer as próprias escolhas e que quando ela diz não, ela não sabe muito bem o que está dizendo.

Também está dizendo que o papel do homem é fazer as escolhas da mulher por ela. E que, se ela não tiver o comportamento de princesa esperado, ele pode puni-la por isso.

O sexismo ambivalente dá margem a achar que a mulher deve se comportar de determinada forma: delicada, frágil, feminina, quieta.

Se alguma mulher não se comporta desse jeito, não merece cuidado. Assim, é mais fácil agir de maneira agressiva com uma mulher que não se encaixa nesse padrão de mulher ideal. Por isso é frequente ouvir o discurso de "se ela não se comportasse de tal maneira, isso não teria acontecido".

BBC Brasil: Alguns dos suspeitos do crime disseram nas redes sociais que a garota teria pedido para ter relações sexuais com os homens, ainda que aparentasse não estar completamente consciente no vídeo. Seu perfil no Facebook também vem sendo criticado por referências a sexo e drogas. Que importância estas informações tem na compreensão sobre o que é estupro?

Scarpati: Quando a gente fala de violência sexual tudo gira em torno da potencial vítima ou da vítima em si. A gente pensa na roupa que ela usando, no passado dela, se ela provocou ou não, se ela disse não claramente, se ela estava sob efeito de drogas.

Em nenhum momento, paramos para discutir porque não estamos focando nas ações do agressor, ou nos homens de modo geral.

Se ela estava sob efeito de drogas, o homem precisa entender que ela não está 100% consciente e não é capaz de consentir de verdade um ato. Se ela está alcoolizada, não tem condições de dizer sim ou não claramente.

Ao invés de dizermos aos meninos: "se a menina estiver alcoolizada, ao invés de levá-la para a cama, você chama um táxi e a leva pra casa". Ao invés de dizermos: "sexo envolve pessoas em plena razão para consentir que aconteça", tiramos toda a responsabilidade do homem e colocamos na mulher.

Ela tem que estar sã, consciente, capaz de dizer não e, mesmo quando diga não, tem que ser capaz de fugir ou de reagir se isso não for respeitado.

Esse tipo de estratégia (de falar do comportamento da vítima) é muito eficaz. É por isso que se continua utilizando até hoje, no Brasil e aqui na Inglaterra também. Uma série de casos que foram para a Justiça tiveram exatamente esse argumento: ela bebeu, ela provocou, ela não gritou, não reagiu.

E a vítima é submetida a outra forma de violência: é desacreditada durante todo o processo. Para fechar com chave de ouro, o agressor é absolvido.

O Brasil é o quinto país do mundo em número de assassinatos de mulheres por razões de gênero, o chamado feminicídio, de acordo com a ONU Mulheres. 

Embora seja composto por um grupo de apenas 83 países - somente os que dispõem de estatísticas de violência contra a mulher - e não englobe, por exemplo, nações do Oriente Médio, o ranking dá a medida do tamanho do problema. 

Dados apontam que país tem ao menos 50 mil estupros por anoAgência Brasil
Dados apontam que país tem ao menos 50 mil estupros por ano

São 4,6 mil assassinatos por ano, mostrando que o país só perde em violência para El Salvador, Guatemala, Rússia e Colômbia, segundo a lista. E pelo menos 50 mil casos de estupro são registrados anualmente. 

Em entrevista à BBC Brasil, a representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, afirma que o número revela "uma sociedade muito machista, muito violenta, que assedia e estupra as mulheres". Segundo ela, o país tem boas leis, mas elas não são colocadas em prática com a força necessária. 

Confira os principais trechos da entrevista: 

BBC Brasil - O Brasil é o quinto país do mundo em número de feminicídios, a frente de muitos países considerados, no senso comum, mais violentos. Como a senhora explica isso? 

Nadine Gasman - De 2013 para 2015, o Brasil passou de sétimo para quinto lugar. Apenas os países que têm dados sobre assassinatos de mulheres fazem parte da lista, mas, sim, é verdade, o país está à frente de muitos outros. E os números são muito fortes. São 50 mil agredidas sexualmente a cada ano. 

E esse número é o das mulheres que notificam a agressão - porque trabalhamos com a estimativa de que apenas um terço das vítimas registra ocorrência. Há uma semana mais ou menos, a (ONG) Actionaid lançou uma pesquisa segundo a qual 86% - vejam bem, oitenta e seis por cento - das mulheres brasileiras já sofreram algum tipo de assédio. 

Esses números mostram uma sociedade muito machista, muito violenta, que assedia e estupra as mulheres. O caso da menina de Bom Jesus, no Piauí, e o da menina do Rio de Janeiro são crimes muito bárbaros, que demonstram um desprezo grande pela vida, pelo corpo e pela sexualidade das mulheres. 

No caso do Rio, 33 homens estupram uma jovem e tiram fotos, fazem daquilo uma festa. E postam nas redes sociais, revelando uma total falta de consciência de que cometiam um crime. 

Nadine Gasman: Agência Brasil
Nadine Gasman: "Brasil tem uma cultura sexista muito forte"

BBC Brasil - Existe uma imagem, tanto nacional quanto internacional, de que o Brasil é um país mais liberal no que diz respeito aos costumes, às mulheres. 

Gasman - Eu acho que depende muito do que as pessoas classificam como liberdade. Existe uma mídia que apresenta a mulher brasileira como objeto sexual, com todos os preconceitos e estereótipos possíveis - mas pode haver uma leitura imprópria de que isso é liberdade. 

Se 86% das mulheres brasileiras dizem já ter sofrido algum tipo de assédio, que liberdade é essa que elas têm de andar pelas ruas, de ocupar espaços públicos? Acho que essa imagem que se criou não corresponde à vida real das mulheres brasileiras. 

BBC Brasil - A senhora acha que existe uma cultura do estupro no Brasil? 

Gasman - Sim, acho que o Brasil tem uma cultura machista muito forte, uma cultura sexista muito forte e uma cultura de estupro. O estupro é aceito pelos homens e não reconhecido por muitos como uma violação extrema dos direitos da mulher. 

Por isso estamos lançando agora a campanha "Eles por Elas", para que os homens se posicionem também, não se calem diante de situações de violência, não compartilhem vídeos como o do estupro dessa moça. 

Eles precisam entender que, com esses gestos, perpetuam a cultura do estupro. Que precisam se comprometer a deter essa barbárie, que usem os espaços que têm para conscientizar outros homens. É especialmente importante que se engajem. 

BBC Brasil - A violência contra a mulher é naturalizada no Brasil? 

Gasman - Sim, de muitas formas. Temos uma sociedade que aceita o machismo, a desigualdade entre homens e mulheres, em que a questão da igualdade de gênero não faz parte da cultura. 

Estupro no Rio chocou opinião pública e mobilizou políciaAgência Brasil
Estupro no Rio chocou opinião pública e mobilizou polícia

O tema não é tratado nas escolas com a profundidade que deveria. A escola é o espaço para socializar meninos e meninas numa cultura de igualdade, respeito, tolerância. 

A mídia, por sua vez, banaliza o tema do estupro, do crime. O país tem uma boa resposta em termos de leis, mas elas não são implementadas com a força e a decisão necessárias. E tem até casos extremos de apologia ao estupro. É essa sociedade que perpetua a cultura machista e sexista.

BBC Brasil - É por isso que, frequentemente, as vítimas são apontadas como culpadas? 

Gasman - Sim, é parte da mesma cultura machista e sexista botar a toda a culpa na vítima: o que ela estava fazendo lá, por que estava vestida de tal jeito. 

Esse discurso é uma forma de desprezar o direito dela de estar onde quiser, de vestir o que quiser e, ao mesmo tempo, de não assumir a sua própria responsabilidade pelo ataque. 

BBC Brasil - Chamou a atenção na posse do novo governo interino o fato de só haver homens no ministério de Michel Temer. A falta de representação política contribui para essa situação? 

Gasman - A falta de representação política é resultado dessa mesma cultura. Obviamente que se tivermos maior representação de mulheres nos empregos públicos e privados, nas empresas, no Congresso Nacional, nos ministérios, isso muda a forma com que os homens se relacionam no espaço público e no poder. 

E quando tem muitas mulheres e muitas mulheres comprometidas com os direitos da mulher isso também muda a forma como a política é feita, como as instituições se organizam.

Ônibus da Cantora Márcia Fellipe se envolve em acidente na Paraíba

O ônibus que transportava os músicos que trabalham com a cantora Márcia Fellipe se envolveu num acidente neste domingo (29). O veículo seguia no trecho de Pitombeira, no Sertão da Paraíba, quando colidiu com um caminhão baú.

O grupo retornava de Maceió-AL, onde fez um show na noite anterior. Na ocasião foi gravado o novo CD promocional da artista.

Conforme a assessoria da cantora, a banda teria dois dias de pausa nos shows e no retorno houve o acidente. Márcia Fellipe não estava na equipe e a assessoria disse ainda que nenhum dos integrantes da banda ficou ferido.

Obrigado meu Deus por mais um livramento te agradeço por tudo... Nosso ônibus colidiu com um caminhão baú. Mais graças a Deus foi só danos materiais. Estamos todos bem", postou um dos integrantes no Instagram.

Em outra postagem, reproduzida por Márcia, eles agradecem aos fãs. Gostaríamos de agradecer aos fãs e amigos pela preocupação e atenção e aproveitar aqui para deixar nosso agradecimento aquele que sempre nos protege, nos guia e nos livra do pior: Deus".

Este, entretanto, não foi o primeiro acidente em que a banda se envolve. No dia 25 de abril do ano passado o veículo colidiu com um animal e acabou descendo um barranco. A artista também não estava no ônibus no dia do ocorrido.

Tambau247

Choque Séptico Abdominal agudo mata professora em Cajazeiras; Hospital emite Nota explicado assunto

Morreu no Hospital Regional de Cajazeiras, Setor da UTI, a Professora da Rede Municipal de Ensino, Janicelia Mangueira da Silva, 40 anos.

Internada para tratamento de saúde, após perde 18 kg em pouco tempo, a professora ficou sobre os cuidados médicos na UTI naquela nosocômio na manhã deste domingo.

Mesmo sobre os cuidados médicos, a professora não evoluiu bem, e mesmo com todos os procedimentos necessários, Junicélia apresentou um quadro de Choque séptico / Abdômen Agudo por volta das 20:30h, momento que se constatou o óbito.

A secretária de Educação do Município de Cajazeiras, Edna Elba Caldas, emitiu nota de pesar a família enlutada, ao mesmo instante que decretou luto oficial no âmbito da secretaria por três dias.

Informações que os preparos fúnebres seguem, e deverá ser sepultada nesta segunda-feira (31), na Cidade de Cajazeiras.

Leia Nota da Assessoria do Hospital Regional de Cajazeiras, explicando o quadro clinico da paciente.

NOTA

A assessoria de comunicação do Hospital Regional de Cajazeiras, vem através desta explicar o que se segue:

Neste sábado (28) deu entrada no setor de urgência e emergência, a paciente Janicélia Mangueira (40 anos de idade) transferida da UPA – Unidade de Pronto Atendimento, a mesma recebeu os cuidados iniciais necessários e de imediato a equipe médica indicou sua internação.

No dia seguinte, domingo (29) às 11h a paciente teve complicações em seu quadro clinico e foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva do HRC, no momento em que a equipe verificava seus sinais vitais, foi constatado que a pressão arterial da paciente estava inaudível. Foi realizada a administração de medicamentos para a reversão do estado da paciente, elevando assim, a sua PA ao nível normal 120 x 80.

Por volta das 20h a paciente entrou em parada cardiorrespiratória, a equipe da Unidade de Terapia Intensiva, realizaram manobras de reanimação cardiopulmonar, mas, sem sucesso, constatando o óbito da paciente às 20h30min, com a causa morte: Choque séptico / Abdômen Agudo.

Folha do Sertão

Falso padre procurado pela Justiça do Ceará é preso no Sertão da PB


Imagem ilustrativa

Um homem que se passava por padre e missionário evangélico em viagens por cidades do interior do Nordeste foi preso, nesse domingo (29), em Sousa (Sertão paraibano, a 438 km de João Pessoa). Ele é acusado de estelionato pela Justiça do Ceará e tinha um mandado de prisão em seu nome.

O suspeito confessou que fingia ser sacerdote e disse que chegou a receber confissões e realizar batizados e casamentos em cidades do Ceará, Maranhão e Piauí. Ele disse ainda que foi a Sousa a convite de um pastor da Assembleia de Deus. Na igreja, ele teria feito um falso testemunho aos fiéis, afirmando que tinha sido padre, mas que agora havia se convertido ao protestantismo. As declarações foram dadas ao site Sertão Informado, que entrevistou o suspeito.

O suspeito foi levado para a Colônia Penal Agrícola de Sousa, onde aguarda medidas da Justiça cearense.

Portal Correio

Ataques com seringas são investigados; suspeito pode ficar preso por até quatro anos


Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher, em JP

A Polícia Civil está investigando o caso da professora que denunciou ter sido ferida com uma seringa dentro de um ônibus, na última sexta-feira (20), em João Pessoa. Ainda não há suspeitos do crime e o veículo coletivo onde ocorreu a agressão não possui câmeras de segurança. A informação foi repassada ao Portal Correiopela delegada Desirée Vasconcelos, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher, onde a vítima prestou queixa.

Segundo a delegada, o suspeito, assim que identificado, responderá pelo crime de periclitação da vida e da saúde, em que o agressor expõe a vítima a perigo. Dependendo do artigo em que ele for enquadrado, a pena pode chegar a quatro anos de prisão.

"Tudo vai depender da situação da vítima. Se ela chegar a ser infectada por alguma doença, o suspeito será enquadrado no artigo que trata de perigo de contágio de moléstia grave, cuja pena varia de um a quatro anos de prisão. Se ela não tiver contraído alguma doença, ele responderá no artigo que trata de perigo para a vida ou saúde de outrem, cuja pena vai de três meses a um ano", explica Desirée Vasconcelos.

A delegada informou que a polícia já abriu investigação para identificar o homem que atacou a mulher. Ela ressaltou ainda que é muito importante que vítimas de ataques parecidos com o sofrido pela professora procurem uma delegacia. Ela também orientou que vítimas procurem um centro de saúde para realizar exames e tomar medicações.

Depois do ataque – que aconteceu em um ônibus da linha 3510 – Bancários/Pedro II/Epitácio – a professora procurou atendimento no Hospital Clementino Fraga, referência no tratamento de doenças infecto-contagiosas, e já iniciou tratamento para evitar transmissão do vírus HIV, hepatite ou outras doenças.

Ela já recebeu vacinas e tomará um coquetel anti-HIV por 28 dias e, em seguida, passará por testes que confirmem ou descartem a transmissão do vírus. A diretora do Clementino Fraga, Adriana Teixeira, disse que acredita que o contágio de doenças será evitado, caso na agulha usada pelo agressor tivesse mesmo alguma substância prejudicial ao organismo.

Além da professora, um funcionário de um hospital da Capital foi alvo de ataque parecido, na segunda-feira (23). Ele também passa por tratamento.

Portal Correio

As charges do dia...


Cariri Ligado

Casas lotéricas vão parar atividades na Paraíba em junho, alerta sindicato

O Sindicato dos Empresários Lotéricos do Estado da Paraíba esta fazendo um alerta. De acordo com a presidente do Sindicato, Marlene Falcão, as atividades das casas lotéricas terão paralisações de 4 a 11 de junho, devido à defasagem no aumento das tarifas repassada pela Caixa Econômica Federal para os estabelecimentos. O movimento no estado segue uma paralisação nacional.

As 320 casas lotéricas da Paraíba vão seguir um calendário de protesto contra a Caixa e estarão paralisando os atendimentos de alguns serviços. Além das apostas, as lotéricas servem como correspondentes bancários, podem ser efetuados nos estabelecimentos: pagamentos, depósitos e recebimento de benefícios sociais, mas o pagamento de boleto será paralisado para chamar a atenção das dificuldades que os empresários vêm passando pela falta de reajuste das tarifas pagas pela Caixa Econômica Federal.

No dia 4 e no dia 11, as lotéricas não vão receber pagamentos de nenhum boleto bancário ou conta de consumo e entre os dias 6 e 10 seguirão um calendário onde boletos de determinados bancos não serão pagos.

Marlene Falcão lamentou que a medida tenha que ser adotada. Ela destacou que o Sindicato vem tentando negociar com a Caixa a mais de ano, mas que há dois anos as tarifas pagas as lotéricas não foram reajustadas, prejudicando a manutenção dos serviços. Só na Paraíba, mais de sete mil empregos diretos são gerados pelo seguimento.

Ela lembrou que os serviços realizados nas lotéricas desafogam as filas bancárias e revelou que só na Grande João Pessoa são 120 casas loterias em atividade. Marlene explicou que o reajuste solicitado não vai onerar os clientes que fazem os pagamentos de boletos, mas que o pleito dos empresários é para atualizar o valor da tarifa paga pela Caixa as casas lotéricas. Acontece que, apesar de ter o reajustado o valor dos serviços para cobrança e pagamento de boleto, a Caixa Econômica Federal vem se negando a reajustar os valores pagos a seus correspondentes.

"O delegado queria colocar a culpa em mim", diz vítima de estupro coletivo


Manifestações aconteceram em todo o país, após a divulgação de casos de estupro coletivo no Rio de Janeiro

Em entrevista veiculada na noite deste domingo (29) pelo programa "Domingo Espetacular, da TV Record, a adolescente vítima de um estupro coletivo no Rio de Janeiro criticou o delegado Alessandro Thiers, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informação (DRCI), que foi retirado da investigação pelo comando da Polícia Civil.

"Foi horrível [prestar depoimentos] porque eles me culparam por uma coisa que eu não fiz. Ficaram perguntando porque eu estava lá, se eu tinha envolvimento, se já tinha feito sexo grupal. O delegado estava querendo me botar de culpada de todas as formas. Aí, eu parei de responder às perguntas, porque eu não era obrigada", disse a vítima sobre os três primeiros depoimentos que prestou à polícia.

Os interrogatórios foram comandados por Thiers. Em outra entrevista, ao "Fantástico", da TV Globo, a adolescente reclamou da forma como o delegado iniciou o interrogatório. "Ele chegou dizendo 'Me conta aí', sem nem perguntar como eu estava, se estava bem", disse ela.

Neste domingo, a adolescente entrou para a guarda do Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte. Ela e a família deixaram a casa onde viviam na zona oeste do Rio. Eles também dispensaram os trabalhos da advogada Eloísa Santiago, que até então defendia a adolescente.

Nenhum suspeito permaneceu detido desde a divulgação nas redes sociais do vídeo em ela aparece sofrendo o abuso, nua e desacordada, na última quarta (25).

"Não acredito na Justiça"

A adolescente de 16 anos disse ainda não acreditar na Justiça. "Eu acredito na Justiça de Deus, que tarda, mas não falha".

Em outro trecho da entrevista, a jovem declarou que os homens que participaram do estupro coletivo não atenderam aos apelos dela para que parassem. "Eles continuavam tendo relações comigo, mesmo eu gritando e chorando". Ela voltou a afirmar que estava dopada, e ao acordar não reconheceu a casa, onde o crime foi cometido.

"Todos os dias quando eu acordo eu me sinto culpada. Eu me sinto culpada por usar um short curto", disse a adolescente quando foi questionada sobre seus sentimentos em relação ao fato. Ela voltou a agradecer às mensagens de apoio que recebeu de milhares de pessoas, por meio das redes sociais. "Eu quero ajudar o máximo de pessoas que eu puder. Mas para aonde eu vou, o que vou fazer da minha vida, eu não sei."

Ao "Fantástico", ao ser perguntada sobre o que ela deseja que aconteça com os estupradores, a jovem é enfática: "Desejo uma filha mulher a eles".

Troca de comando

A DCAV (Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima) assumiu a coordenação das investigações do estupro coletivo, ocorrido na semana passada no Rio de Janeiro, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil.

"A medida visa evidenciar o caráter protetivo à menor vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho", explica o comunicado da Polícia Civil.

A investigação passa a ser conduzida pela delegada Cristiana Bento, no lugar de Alessandro Thiers, titular da Delegação de Repressão aos Crimes de Informação (DRCI).

A investigação teve início após um vídeo da jovem, nua e desacordada, ser postado em redes sociais na terça (24). O caso gerou protestos de rua e nas redes sociais no Brasil e no mundo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...